Cotidiano

‘Luzes estranhas’ no céu de MS têm explicação: são satélites da SpaceX

As “luzes estranhas” vistas por moradores de Corumbá e Ladário no céu desta última sexta-feira (30) tem uma explicação: satélites do projeto Starlink, da SpaceX, uma das principais empresas privadas de serviços de transporte espacial do mundo, de Elon Musk, nos Estados Unidos. Vários comentários afirmando esse fato surgiram nas redes sociais do Jornal Midiamax. […]

Renata Fontoura Publicado em 31/10/2020, às 11h48 - Atualizado em 01/11/2020, às 09h56

Foto: Ilustrativa
Foto: Ilustrativa - Foto: Ilustrativa

As “luzes estranhas” vistas por moradores de Corumbá e Ladário no céu desta última sexta-feira (30) tem uma explicação: satélites do projeto Starlink, da SpaceX, uma das principais empresas privadas de serviços de transporte espacial do mundo, de Elon Musk, nos Estados Unidos.

Vários comentários afirmando esse fato surgiram nas redes sociais do Jornal Midiamax. “São satélites Starlink, a SpaceX lançou o Train 13 é 14 [dois satélites] e eles estão na órbita do Brasil”, diz um leitor na publicação. “Devem ser os satélites da Starlink”, “São apenas satélites”, alegam outros leitores.

A reportagem buscou confirmar tanto os ovis (objetos voadores não identificados) de Corumbá e Ladário como de Campo Grande. Para isso, conversou com Giovanni Rescigno, analista de TI e coordenador da EXOSS, um projeto que monitora meteoros. À reportagem, Rescigno afirmou que os episódios da região pantaneira de MS podem ser, de fato, um satélite. “Parece o Starlink, do Elon Musk”, explica. Através de um software usado por Rescigno, um suporte pôde ser visto passando pelo céu dos municípios.

Em Campo Grande, um morador do bairro Centro-Oeste também registrou luzes estranhas no céu noturno desta sexta. “Eu achei que era avião”, relata Victor Sefarim Gomes, de 32 anos. Sobre esse ovni, segundo Rescigno, o que o pintor avistou no céu não deve ser um satélite. “Parece reflexo da luz na lente, de algum poste ou da lua, que está cheia”, explica.

A reportagem confirmou que os episódios relatados em Corumbá e Ladário são os satélites da Starlink, cuja rota contemplou o céu do Brasil, inclusive de Mato Grosso do Sul. A propósito: em outubro, a SpaceX realizou o 18º lançamento do projeto, levando à órbita da Terra mais um lote de 60 unidades. Agora, já são cerca de 835 satélites Starlink lançados, e tem ambição de chegar ao número de 30 mil. Porém, a empresa teve cerca de 3% de perdas, com satélites que apresentaram defeitos e, por isso, estão desativados.

Mas, por que tem uma empresa lançando satélites no céu?

Internet do espaço para o mundo inteiro!

Elon Musk, o dono da Space X, costuma ser descrito como um visionário na maioria dos sites de tecnologia. Não é por menos, já que o objetivo da Starlink é, basicamente, colocar internet nos quatro cantos do planeta. A SpaceX, no caso, está trabalhando para que possa se tornar um dos maiores provedores de internet do mundo o mais rápido possível. O plano é colocar em órbita terrestre uma constelação de milhares de satélites para transmitir banda larga do espaço. E são esses satélites que deixam rastro luminoso do céu. A tendência é, portanto, que as aparições celestiais se tornem cada vez mais comuns.

No início de setembro, a empresa planejou o lançamento de um número sem precedentes de foguetes para 2021. Serão até 24 missões dedicadas exclusivamente ao transporte de satélites que transmitirão banda larga do espaço. Além disso, a companhia pediu recentemente aos reguladores dos EUA permissão para reorganizar sua constelação, de modo que menos satélites possam cobrir um território maior, de acordo com documentos apresentados à Comissão Federal de Comunicações.

Então, se tudo der certo para a empresa de Elon Musk, até o final deste ano poderá oferecer internet de alta velocidade, inicialmente, ao sul dos Estados Unidos. A área de cobertura pode aumentar após a temporada de furacões de 2021, incluindo territórios norte-americanos como as Ilhas Virgens Americanas e Porto Rico. No futuro, a empresa que cobrir o mundo todo. Animou?

Jornal Midiamax