Cotidiano

Lacen realiza até 25 exames por dia para testar suspeitas de coronavírus em MS

Com 12 casos confirmados do Covid-19, o novo coronavírus, em Mato Grosso do Sul, a Saúde segue com as ações de combate e prevenção da doença. Para os casos suspeitos, o Lacen (Laboratório Central), localizado em Campo Grande, realiza de 20 a 25 exames por dia nos moradores que apresentam suspeita do vírus. Conforme a […]

Mariane Chianezi Publicado em 21/03/2020, às 08h36 - Atualizado às 09h26

(Divulgação | SES-MS)
(Divulgação | SES-MS) - (Divulgação | SES-MS)

Com 12 casos confirmados do Covid-19, o novo coronavírus, em Mato Grosso do Sul, a Saúde segue com as ações de combate e prevenção da doença. Para os casos suspeitos, o Lacen (Laboratório Central), localizado em Campo Grande, realiza de 20 a 25 exames por dia nos moradores que apresentam suspeita do vírus.

Conforme a SES (Secretaria Estadual de Saúde), o governo fez a compra de 200 kits de testes de coronavírus que vão possibilitar a realização de 10 mil exames de detecção da doença. A medida é para que não faltem os insumos nas realizações dos testes em MS.

Além dessa compra emergencial, chegaram do Ministério da Saúde nesta sexta-feira (20) mais 10 kits, com capacidade para a realização de 248 exames, além dos 10 kits que tinham sido enviados no último dia 9 de março. Com isso, ainda restavam no Lacen, material suficiente para a realização de 396 testes.

Porém, com a possibilidade de ser necessária a realização de um número maior de exames diariamente, foi aberto essa semana um procedimento emergencial para a compra de cinco mil testes, que poderão ser entregues à SES no começo de abril. Um novo processo será aberto na próxima semana, para a compra de mais cinco mil.

Vale lembrar que até o início deste mês as amostras eram enviadas para o Instituto Adolfo Lutz, em São Paulo.

Como o exame é feito

O exame para o novo coronavírus é um teste de biologia molecular que identifica o material genético do vírus. A cada rodada, com cerca de 30 testes ao mesmo tempo, são utilizados um exemplar positivo e o outro negativo para controle.

Na análise o laboratório utiliza amostras de secreções das vias respiratórias (do nariz e garganta). Esses materiais são coletados das pessoas com a suspeita da doença com o uso de swabs, um tipo hastes longas de plástico com algodões em suas pontas, ou aspirados por sonda.

Jornal Midiamax