Cotidiano

Geraldo critica Carlos Wizard, do Ministério da Saúde: ‘nada conhece de Saúde Pública’

Titular da SES reage a afirmação de que Secretarias Estaduais de Saúde ‘distorcem dados’ sobre infectados pelo coronavírus

Humberto Marques Publicado em 07/06/2020, às 12h07 - Atualizado às 17h45

(Imagem: Reprodução)
(Imagem: Reprodução) - (Imagem: Reprodução)

O secretário de Estado de Saúde, Geraldo Resende, criticou neste domingo (7) o novo secretário de Ciência e Tecnologia do Ministério da Saúde, Carlos Wizard, que contestou o atual número de óbitos pelo novo coronavírus (Covid-19) somado no país e acusou os governos estaduais de “distorcerem os dados”.

O titular da SES afirmou que Wizard “não conhece nada de Saúde” e trabalha para esconder o fato de não haver uma política unificada de combate à pandemia. A manifestação do secretário nacional já havia gerado reação do Conass (Conselho Nacional dos Secretários de Saúde) em nota.

As falas de Wizard vieram ao mesmo tempo em que o Governo Federal alterou as regras de divulgação dos números da Covid-19, alegando buscar mais solidez aos dados. O boletim, antes divulgado até as 19h (de Brasília), passou a ser divulgado por volta das 22h. Além disso, o site do Ministério da Saúde chegou a ficar fora do ar e voltou exaltado dados como o número de pacientes de coronavírus recuperados, sem dar o total de casos ou de mortes pela doença.

“[No Conass] nos manifestamos com veemência, em nota, contra a dura medida tomada pelo futuro secretário de Ciência e Tecnologia do Ministério da Saúde, Carlos Wizard, que não conhece nada de Saúde e jogou a responsabilidade pelo número de casos de coronavírus e de óbitos, dizendo que há uma distorção dos números”, afirmou Geraldo, durante live do Governo do Estado transmitida em redes sociais neste domingo.

Pela manhã, a SES confirmou 2.253 casos de Covid-19, sendo 121 novos, mantendo Mato Grosso do Sul com o menor número entre os Estados. “A transparência é total, como em todos os Estados”, afirmou o secretário, reagindo ao argumento de que os números regionais foram inflados na busca por mais recursos, “talvez na tentativa de escamotear o principal hoje: a falta de um norte do Ministério da Saúde para construção de uma unidade no enfrentamento”.

‘Regimes totalitários’ e dados de Saúde Pública

O titular da SES afirmou, ainda, que o inimigo no momento é o coronavírus. “Nós não podemos criar uma cortina de fumaça para discutir o que tem sido falha do Ministério da Saúde, de ter uma política única no enfrentamento do coronavírus. Na questão do isolamento social, há muitas falas dúbias e que muitas vezes prejudicam o gestor municipal e estadual no enfrentamento”, prosseguiu.

Ainda de acordo com Geraldo, já começam a faltar insumos importantes no Estado, cuja distribuição foi colocada como prioridade do ministério.

“Esse cidadão Carlos Wizard nada conhece de Saúde Pública e talvez já entrou errado no Ministério da Saúde. Gostaria que ele pudesse se redimir de sua fala e trazer a público, continuar a divulgação do boletim”, disse, repetindo crítica feita horas antes ao Jornal Midiamax, de que só “em regimes totalitários, sejam de direita ou de esquerda, é que se escodem os números de determinada epidemia”.

Ele prometeu continuar com a divulgação diária da SES, inclusive com correções feitas a partir dos dados apurados pelas Secretarias Municipais de Saúde –elevando ou reduzido o total de casos.

Jornal Midiamax