Cotidiano

‘Foram dias tensos’, diz prefeito após incêndio no Parque das Nascentes do Taquari ser controlado

Cerca de 40 mil hectares, 80% deles na área de preservação, foram destruídos no maior incêndio que já atingiu a região.

Humberto Marques Publicado em 18/09/2020, às 18h07

Incêndio no Parque do Taquari foi controlado após 15 dias. (Foto: Marcos Antonio dos Reis/Divulgação)
Incêndio no Parque do Taquari foi controlado após 15 dias. (Foto: Marcos Antonio dos Reis/Divulgação) - Incêndio no Parque do Taquari foi controlado após 15 dias. (Foto: Marcos Antonio dos Reis/Divulgação)

O incêndio que devastou cerca de 40 mil hectares do Parque Nacional das Nascentes do Rio Taquari em Alcinópolis –a 313 km de Campo Grande– foi o maior registrado na região nas últimas décadas. A informação é do prefeito Dalmy Crisóstomo (DEM), segundo quem até mesmo as chamas registradas em 2009 fizeram menos estragos.

Cerca de 40 mil hectares foram destruídos pelo fogo que, na madrugada desta sexta-feira (18), foi declarado controlado pelo Corpo de Bombeiros. Equipes permanecem no local realizando o rescaldo e mapeando possíveis novos focos.

“Foram dias tensos e de muito trabalho árduo”, afirmou o prefeito, ao agradecer a “mobilização fantástica” entre a Prefeitura de Alcinópolis e a Prefeitura de Costa Rica que, juntas, providenciaram dois aviões utilizados no enfrentamento ao fogo, maquinário e brigadistas. Produtores rurais em um raio de 50 km também ajudaram, cedendo funcionários e doando alimentos para as equipes –o mesmo feito por comerciantes dos municípios.

Um total de 136 homens do 47º Batalhão de Infantaria do Exército de Coxim também foi mobilizado para atuar nos últimos 5 dias no enfrentamento ao fogo –eles já deixaram a região. O Governo Federal também direcionou outras duas aeronaves e bombeiros do Paraná, enquanto o Governo do Estado mobilizou militares do Estado e equipes da Defesa Civil.

Equipes continuam nos locais também para resgatar animais que sobreviveram as queimadas. Frutas, pontos de água e verduras foram deixadas próximo as regiões para animais que ainda fogem dos incêndios.

Crisóstomo afirma que, mesmo com os 40 mil hectares calcinados “entre parques e propriedades rurais”, residências e currais não foram atingidos. “Também não houve nenhum incidente humano”. Da vegetação queimada, 80% pertencia à área de conservação.

Apesar de incêndios de grande intensidade na região serem raros, o fogo tem se tornado requente na região. “No ano passado teve um pequeno incêndio na parte agricultável, mas que não adentrou o Parque”, destacou. Segundo ele, o último incidente de proporção semelhante ocorreu em 2009. “São 10 anos de material combustível na natureza, que deixou fácil demais para o fogo ficar sem controle”, disse.

A expectativa, agora, é que a chuva prevista para chegar ao Estado neste final de semana também avance em direção ao Pantanal Norte e as nascentes do Taquari. “É a chuva chegar e renascer a flora e as pastagens, deixando tudo verde por aqui”, disse o prefeito.

Jornal Midiamax