Cotidiano

Estadia da Força Nacional no combate à criminalidade na fronteira é prorrogado

O combate contra o crime organizado na região fronteiriça de Mato Grosso do Sul contará novamente com o reforço da Força Nacional, que teve sua estadia prorrogada até o início de julho de 2020. A portaria com a permanência foi publicada na edição desta quinta-feira (2) do DOU (Diário Oficial da União) por meio do […]

Vinícius Costa Publicado em 02/01/2020, às 14h57 - Atualizado às 14h59

Foto: Reprodução/ Agência Brasil
Foto: Reprodução/ Agência Brasil - Foto: Reprodução/ Agência Brasil

O combate contra o crime organizado na região fronteiriça de Mato Grosso do Sul contará novamente com o reforço da Força Nacional, que teve sua estadia prorrogada até o início de julho de 2020. A portaria com a permanência foi publicada na edição desta quinta-feira (2) do DOU (Diário Oficial da União) por meio do ministro da Justiça, Sergio Moro.

O reforço também está sendo utilizado em apoio à Secretaria de Operações Integradas do ministério da Justiça e Segurança Pública nos estados do Espirito Santo, Paraná e Rio de Janeiro.

A operação terá o apoio logístico da Sejusp (Secretaria de Estado de Justiça e Segurança Pública), que deverá dispor da infraestrutura necessária à Força Nacional. Na portaria expedida pelo ministro, o contingente a ser disponibilizado obedecerá ao planejamento definido pela Secretaria Nacional de Segurança Pública.

Não havendo necessidade de renovação por meio do órgão estadual, a equipe federal será retirada de forma imediata da área de atuação. A Força Nacional atua desde julho de 2019 na fronteira.

Reforço em Caarapó

Na véspera do ano novo, o ministro Sergio Moro também publicou a portaria que informava a prorrogação da estadia de equipes da Força Nacional na cidade de Caarapó, distante a 277 quilômetros de Campo Grande. O reforço ficará até o dia 11 de fevereiro de 2020.

As equipes da força federal estão no município desde o ano de 2016, quando conflito fundiário terminou na morta de um indígena da tribo Guarani-Kaiowá e agente de saúde indígena Cloudione Rodrigues Souza, de 26 anos.

Jornal Midiamax