Cotidiano

Em assembleia, enfermeiros da Santa Casa paralisam atividades até receberem 13º

Enfermeiros da Santa Casa de Campo Grande decidiram paralisar as atividades até receberem o pagamento do 13º salário. Cerca de 200 profissionais protestam em frente ao hospital na manhã desta terça-feira (22), mas os sindicatos dos trabalhadores garantiram que cerca de 40% dos funcionários continuam trabalhando para manter os serviços essenciais. O presidente do Siems (Sindicato...

Gabriel Maymone Publicado em 22/12/2020, às 08h22 - Atualizado às 12h31

Pagamento já está sendo realizado nesta quarta-feira (23). (Foto: Henrique Arakaki/Midiamax)
Pagamento já está sendo realizado nesta quarta-feira (23). (Foto: Henrique Arakaki/Midiamax) - Pagamento já está sendo realizado nesta quarta-feira (23). (Foto: Henrique Arakaki/Midiamax)

Enfermeiros da Santa Casa de Campo Grande decidiram paralisar as atividades até receberem o pagamento do 13º salário. Cerca de 200 profissionais protestam em frente ao hospital na manhã desta terça-feira (22), mas os sindicatos dos trabalhadores garantiram que cerca de 40% dos funcionários continuam trabalhando para manter os serviços essenciais.

O presidente do Siems (Sindicato dos Enfermeiros de Mato Grosso do Sul), Lázaro Santana, disse que todos os profissionais da Santa Casa estão sem receber. “Esse é o motivo da concentração aqui hoje, mas tiveram uma série de fatores”, explicou.

Conforme o sindicalista, além de não terem recebido sequer a primeira parcela do 13º – que deveria ter sido paga até 30 de novembro, os enfermeiros estão trabalhando em excesso e não estão recebendo horas extras, além de não terem recebido os valores de férias.

Santa Casa
Profissionais protestam na manhã desta terça-feira pelo pagamento do 13º. (Foto: Henrique Arakaki, Midiamax)

Para presidente do Sintems (Sindicato dos Técnicos em Radiologia de MS), Fabrício Costa, o problema é que os trabalhadores querem “pelo menos uma data”. Também estavam presentes no ato representantes do Sindisaúde (Sindicato dos Trabalhadores de Saúde) e do Satems (Sindicato dos Assistentes Sociais).

Enquanto o grupo estava reunido, o diretor-presidente da Santa Casa, Heitor Freire, chegou ao hospital e ouviu gritos de protesto. Ele explicou aos manifestantes que o dinheiro para o pagamento já está na conta do hospital, mas ainda não foi realizado por questões burocráticas.

“O documento que libera o repasse emergencial para a Santa Casa está na procuradoria da prefeitura. Só podemos fazer o pagamento quando o texto for publicado em Diário Oficial”, informou o diretor.

Posicionamento

A Santa Casa informou que o dinheiro deve cair na conta dos funcionários até esta quarta-feira (23).

Em nota, o hospital reforçou que o pagamento está condicionado à liberação de repasse da prefeitura de verba transferida pelo governo estadual de R$ 11 milhões. “Esse repasse deve acontecer até amanhã no final do dia, a depender apenas das questões burocráticas da Prefeitura de Campo Grande”, informou.

A Prefeitura de Campo Grande confirmou que o repasse está na Procuradoria-Geral e que aguarda liberação do órgão para posterior publicação em Diário Oficial. “Contudo salientamos que este deve ser transferido ao hospital nos próximos dias”, completou.

Santa Casa
Protesto reuniu cerca de 200 profissionais. (Foto: Henrique Arakaki, Midiamax)

*Atualizada às 10h55 para acréscimo de informações

Jornal Midiamax