Cotidiano

Coronavírus: Saúde recorre a prefeitos do interior para equipar UTIs em Campo Grande

Monitores multiparamétricos foram encaminhados por prefeituras do interior para equipar a Saúde de Campo Grande.

Humberto Marques Publicado em 21/07/2020, às 16h09

 (Foto: Divulgação)
(Foto: Divulgação) - (Foto: Divulgação)

O avanço do coronavírus em Campo Grande e a consequente ocupação de leitos hospitalares –que levou à contratação de vagas na rede particular e abertura de novas em unidades do SUS– também levou a SES (Secretaria de Estado de Saúde) a pedir que municípios do interior de Mato Grosso do Sul cedessem equipamentos que não estivessem em uso para a montagem de leitos de UTI (Unidade de Terapia Intensiva) na Capital.

As solicitações, neste momento, envolvem monitores multiparamétricos, que oferecem informações para o monitoramento do estado de saúde de pacientes internados.

Conforme a SES, Sidrolândia entregou 10 monitores e as prefeituras de Corguinho, Japorã, Pedro Gomes e Figueirão –estes os dois únicos municípios do Estado a não registrarem casos de coronavírus– cederam um cada.

“São municípios que se prontificaram em ajudar nossa Capital, que hoje é o epicentro da doença em nosso Estado e que precisa aumentar a disponibilidade de leitos”, afirmou o secretário de Estado de Saúde, Geraldo Resende.

O prefeito de Figueirão, Rogério Rosalin (PSDB), entregou pessoalmente um equipamento na tarde de segunda-feira (20), acompanhado do secretário Giovanni Bertolucci Alves (Saúde). A entrega ocorreu em comodato e envolveu monitor que a SES havia repassado ao município em fevereiro.

A ocupação global de leitos de UTI na macrorregião de Campo Grande chegou aos 84%, conforme a SES, sendo pressionada pela demanda de pacientes de coronavírus. O HRMS (Hospital Regional Rosa Pedrossian), referência para a doença no Estado, passou a atender apenas pacientes de Covid-19.

Ao mesmo tempo, a Prefeitura de Campo Grande contratou leitos junto a hospitais particulares (Pênfigo, Proncor, El Kadri e Clínica Campo Grande) para evitar sobrecarga na rede pública. Também foram inaugurados novos leitos de UTI no Hospital de Câncer Alfredo Abrão (que servirá de retaguarda, isto é, no caso de a rede não suportar novas internações) e na Santa Casa –o HR e o Hospital Universitário também ganharão novas unidades.

Boletim divulgado pela SES na manhã desta terça-feira atribuiu a Campo Grande 6.420 casos positivos e 73 mortes causadas pelo coronavírus –ante os 17.386 infectados e 248 óbitos anunciados na ocasião (o total chegou a 250 nesta tarde).

Jornal Midiamax