Cotidiano

Coronavírus: Campo Grande fecha maio com o 2º pior isolamento entre as capitais

O último dia de maio manteve Campo Grande entre as piores capitais do país em relação ao isolamento social para enfrentamento ao novo coronavírus (Covid-19). Com taxa de 45,6%, a cidade ficou atrás apenas de Goiânia (GO), que cravou 45,25%, e à frente de Cuiabá (MT), com 46,59%, conforme apurado pela consultoria In Loco no […]

Humberto Marques Publicado em 01/06/2020, às 13h51 - Atualizado às 15h32

MS foi o 3º pior Estado em isolamento social no domingo e Campo Grande foi a 'vice-campeã' entre as capitais. (Imagem: Reprodução)
MS foi o 3º pior Estado em isolamento social no domingo e Campo Grande foi a 'vice-campeã' entre as capitais. (Imagem: Reprodução) - MS foi o 3º pior Estado em isolamento social no domingo e Campo Grande foi a 'vice-campeã' entre as capitais. (Imagem: Reprodução)

O último dia de maio manteve Campo Grande entre as piores capitais do país em relação ao isolamento social para enfrentamento ao novo coronavírus (Covid-19). Com taxa de 45,6%, a cidade ficou atrás apenas de Goiânia (GO), que cravou 45,25%, e à frente de Cuiabá (MT), com 46,59%, conforme apurado pela consultoria In Loco no domingo (31).

O percentual de Campo Grande é pior que a média de Mato Grosso do Sul, o terceiro pior Estado em taxa de isolamento, com 46,2% –Goiás (44,54%) e Tocantins (46,03%) atingiram números piores. A média nacional foi de 49,8%.

Os dados de domingo se mostram superiores aos apurados durante os dias úteis, quando Mato Grosso do Sul se manteve abaixo dos 40% de isolamento social –fato creditado à movimentação de pessoas que vão ao trabalho e comércio e a tendência natural de não se sair de casa nos finais de semana.

Ainda assim, os números de Mato Grosso do Sul neste domingo foram piores que o da semana anterior: em 24 de maio, a taxa de isolamento social do Estado foi de 50% (como se metade da população tivesse ficado em casa), a quinta mais baixa do país naquele fim de semana. Campo Grande, por sua vez, cravou 49,6%, também abaixo da média estadual.

Interior

A In Loco realiza o monitoramento da taxa de isolamento social a partir da movimentação de telefones celulares, que indicam se as pessoas estão ou não em suas casas. O trabalho é feito em todo o país e repassado às Secretarias Estaduais de Saúde.

Dentro do Estado, Campo Grande teve o 29º pior distanciamento social. Apenas uma cidade ficou acima dos 60% de isolamento –percentual considerado o mínimo pelas autoridades de saúde para tornar efetiva a técnica de restrição da circulação do coronavírus, uma vez que as pessoas evitam contato com infectados. Aral Moreira marcou 61,5%.

Caracol (58,3%), Santa Rita do Pardo (55,6%), Glória de Dourados (55,1%), Jaraguari (55%), Douradina (54,5%), Batayporã (54,3%), Ponta Porã (53,4%), Coronel Sapucaia (53,2%) e Deodápolis (53%) completam a lista dos 10 melhores índices de distanciamento.

No outro extremo do ranking, Anaurilândia marcou 34% de distanciamento, o pior índice do Estado. Novo Horizonte do Sul (37,1%), Inocência (38,4%), Bataguassu (38,8%), Mundo Novo (39,9%), Alcinópolis (40%), Coxim (40,4%), Ladário (40,5%), São Gabriel do Oeste e Nova Alvorada do Sul (41,3%) completam a lista das 10 piores.

Guia Lopes da Laguna, que segue com a pior taxa de incidência de Covid-19 do Estado (2.324,4 por 100 mil pessoas), teve o 11º melhor isolamento do Estado, com 52,3%. E Dourados, onde o avanço do coronavírus preocupa –já sendo a segunda cidade em casos absolutos, com , teve o 18º melhor índice, com 51,1%. Clique aqui e confira a planilha com dados dos municípios.

Jornal Midiamax