Cotidiano

Rodovias federais em MS registram o dobro de mortes e acidentes no feriadão

A PRF (Polícia Rodoviária Federal) divulgou, na tarde desta terça-feira (13), o balanço da operação do feriado prolongado de Nossa Senhora Aparecida. Comparado ao ano passado, em 2020 foi registrado o dobro de acidentes graves e mortes em rodovias federais de Mato Grosso do Sul. De acordo com o levantamento, desde o início das fiscalizações, […]

Karina Campos Publicado em 13/10/2020, às 15h07 - Atualizado em 14/10/2020, às 08h10

Interceptação foi feita pela PRF na BR-262, em Campo Grande (Foto: Divulgação PRF)
Interceptação foi feita pela PRF na BR-262, em Campo Grande (Foto: Divulgação PRF) - Interceptação foi feita pela PRF na BR-262, em Campo Grande (Foto: Divulgação PRF)

A PRF (Polícia Rodoviária Federal) divulgou, na tarde desta terça-feira (13), o balanço da operação do feriado prolongado de Nossa Senhora Aparecida. Comparado ao ano passado, em 2020 foi registrado o dobro de acidentes graves e mortes em rodovias federais de Mato Grosso do Sul.

De acordo com o levantamento, desde o início das fiscalizações, na sexta-feira (9), ao encerramento na segunda-feira (12), foram registrados 28 acidentes, sendo 8 graves, 36 pessoas feridas e 4 óbitos. Em 2019, foram somados 17 acidentes, sendo apenas 4 com gravidade, 20 pessoas feridas e apenas uma morte.

Das mortes, na sexta-feira (9), um homem de 45 anos e um passageiro, de 42 anos, em uma Fiat Strada, morreram após colidir de frente com uma caminhonete Nissan Frontier, na BR-262, em Ribas do Rio do Rio Pardo. Os dois veículos tinham placa de Minas Gerais. Na caminhonete, uma jovem de 22, e homens de 37 e 39 anos ficaram feridos gravemente.

Na tarde de segunda-feira (12), um casal, João Katryell Helfenstein Detz, de 24 anos, e Vanessa Alves Pereira,20, morreu após bater de frente com um caminhão, na BR-163, em Caarapó. Uma criança de 3 anos foi socorrida e levada para o hospital de Juti.

Autuações

As autuações não tiveram grande aumento, das abordagens deste ano, 25 condutores e 61 passageiros viajando sem cinto de segurança; 24 crianças sendo transportadas fora das cadeirinhas; e 260 ultrapassagens perigosas, somando 1.441 autuações, no ano passado foram 1.321.

Os testes de etilôlemetro eram aplicados a quase todos os condutores abordados, porém, por conta da pandemia, estavam sendo aplicados com mais critério, somo em caso de suspeita de embriaguez ou acidente.

Os testes realizados no ano passado somaram 3.227, destes 33 foram constados, 39 se recursaram fazer e 8 foram presos por dirigir embriagados. Já neste ano apenas 81 testes foram feitos: 9 foram autuados em flagrantes, 13 se recusaram a realizar o teste e 3 foram presos por embriaguez ao volante.

Jornal Midiamax