Após a força-tarefa da Prefeitura de Campo Grande flagrar 595 pessoas ignorando decretos como os de toque de recolher e contra aglomerações em um intervalo de apenas 5 horas, o prefeito Marquinhos Trad (PSD) disse neste sábado (2) que ainda falta consciência sobre a “gravidade e letalidade” do novo coronavírus (Covid-19). Segundo ele, a o município está intensificando cada vez mais a fiscalização como medida de prevenção, a fim de manter os números da doença sob controle e evitar cenários de superlotação de unidades de saúde e cemitérios –já presentes em algumas cidades brasileiras.

Só na sexta-feira (1º), feriado do Dia do Trabalhador, a força-tarefa composta por Semadur (Secretaria Municipal de Meio Ambiente e Gestão Urbana), Guarda Civil Metropolitana e Agetran (Agência Municipal de Transporte e Trânsito), com apoio da Polícia Militar, fizera fiscalização das 15h às 20h em locais como os Altos da Avenida Afonso Pena, Mirante do Aeroporto e na Lagoa Itatiaia, flagrando 595 pessoas ignorando o toque de recolher.

Horas depois, a GCM deu andamento à Operação Toque de Recolher, orientando pessoas em 23 estabelecimentos comerciais a fecharem as portas após a 0h, e outras 124 a voltarem às suas casas.

“Como medida de prevenção, estamos movimentando com plantões a Guarda Civil e a Agetrana realizarem fiscalizações”, disse o prefeito, referindo-se à ação iniciada na tarde de ontem e criticando os 595 flagrados “desrespeitando decretos e colocando em risco suas vidas e levando a enfermidade para dentro de suas próprias casas”.

Marquinhos reiterou que a prefeitura fez todas as orientações possíveis e, ainda assim, “é impressionante como as pessoas ainda não estão totalmente conscientes da gravidade e letalidade do novo coronavírus”. Segundo ele, os flagrantes incluíram de piqueniques a rodas de tereré e de narguilé. “A gente tem pedido, por favor, fiquem em casa e só saiam o necessário. E, se for sair, leve sua máscara”.

Campo Grande registrou, até o momento, 137 pacientes de coronavírus, com 99 deles curados e 25 em isolamento social, além de 9 internados e 2 mortes.