Cotidiano

Com gravações salvas, perícia deve determinar causa de incêndio no Atacadão

Delegado Bruno Urban não descarta nenhuma hipótese para o incêndio no Atacadão e diz que irá analisar conduta de funcionários e clientes

Gabriel Maymone Publicado em 15/09/2020, às 10h40 - Atualizado às 13h43

Delegado Bruno Urban, da 7ª DP, investiga incêndio no Atacadão de Campo Grande. (Imagem: Reprodução)
Delegado Bruno Urban, da 7ª DP, investiga incêndio no Atacadão de Campo Grande. (Imagem: Reprodução) - Delegado Bruno Urban, da 7ª DP, investiga incêndio no Atacadão de Campo Grande. (Imagem: Reprodução)

O delegado Bruno Urban, responsável pelas investigações do incêndio que destruiu o Atacadão da avenida Duque de Caxias essa semana, informou que as gravações de câmeras de segurança do estabelecimento foram recuperadas e serão analisadas pela perícia.

“Não vamos pedir só a filmagem, mas sim todo o aparelhamento de gravação, analisaremos a conduta de algumas pessoas dentro do mercado, se há conduta suspeita de algum cidadão dentro da unidade”

O titular da 7ª DP (Delegacia de Polícia) declarou que os equipamentos de gravação já foram retirados e estão com a administração da rede atacadista. “Vou requisitar por escrito para saber o que aconteceu”, disse Urban sem descartar nenhuma hipótese. “Não podemos descartar acidente como um curto-circuito ou incêndio criminoso”, declarou.

O prédio ainda apresenta focos de calor, com pequenas explosões e até risco de desabamento, por isso o trabalho da perícia será feito aos poucos. “Os bombeiros liberaram algumas partes, mas faremos a perícia com o apoio dos bombeiros, parte por parte”, informou o delegado.

Equipes de bombeiros seguem pelo local no monitoramento de focos de calor. Um simulador da corporação foi utilizado e determinou que a temperatura no incêndio alcançou aproximadamente 700 ºC.

Veja galeria de imagens do incêndio que destruiu o Atacadão

Tragédia

O incêndio que destruiu a loja do Atacadão na Avenida Duque de Caxias, em Campo Grande, teria consumido parte de estoque que renderia lucro de R$ 18 milhões ao atacadista no final do ano. Conforme informações apuradas pelo Jornal Midiamax, a loja já estaria sendo abastecida com todo o estoque para o período de final de ano e mercadoria, tanto das prateleiras como o do estoque aos fundos, estaria avaliada em milhões de reais. Tudo foi destruído.

O fogo começou às 17 horas de domingo (13) e se alastrou rapidamente. Casas chegaram a ser resfriadas e outras evacuadas, mas ninguém ficou ferido.

Jornal Midiamax