Cotidiano

Com duas unidade fechadas, call center mantém expediente na Vila Rica

Duas unidades do call center BTCC Conexão Cliente já foram fechadas na manhã desta sexta-feira (20) após desrespeitar o decreto municipal que proíbe aglomeração com mais de 20 pessoas no mesmo ambiente, medida preventiva contra o contágio do novo coronavírus (Covid-19). Porém, a unidade da Vila Rica, em Campo Grande, continuou as atividades normalmente hoje. […]

Dayene Paz Publicado em 20/03/2020, às 15h42 - Atualizado em 21/03/2020, às 17h13

None

Duas unidades do call center BTCC Conexão Cliente já foram fechadasna manhã desta sexta-feira (20) após desrespeitar o decreto municipal que proíbe aglomeração com mais de 20 pessoas no mesmo ambiente, medida preventiva contra o contágio do novo coronavírus (Covid-19). Porém, a unidade da Vila Rica, em Campo Grande, continuou as atividades normalmente hoje.

Conforme apurado pelo Jornal Midiamax, funcionários protestaram contra a falta de higiene da empresa. Um colaborador, que não quis se identificar, disse que trabalha na empresa a quatro anos e o local de trabalho nunca passou por limpeza, além de ser um ambiente de trabalho compartilhado com vários colegas.

“A gente tem um fluxo de 100 a 200 pessoas por troca de turno. Deve trabalhar cerca de 3 mil pessoas aqui. Trabalhamos com distância de 30 a 40 cm um do outro, e não tem higienização durante a troca. Compartilhamos telefone, teclado, mouse, mesa, cadeira. Não tinha condições mínimas de higiene”, conta.

Outras colaboradoras também disseram que o álcool em gel e sabonete líquido da unidade haviam acabado. O agravante é que alguns funcionários estavam gripados, tossindo e espirrando muito no mesmo ambiente compartilhado. “O álcool em gel parece estar misturado com água”, relata.

A colega também reclama que estão sendo coagidos. A empresa não aceita testado médico do SUS (Sistema Único de Saúde), apenas do convênio médico do call center, porém, evitam as consultas já que são descontadas do salário.

A Semadur (Secretaria Municipal de Meio Ambiente e Desenvolvimento Urbano) e a Vigilância Sanitária deve realizar fiscalizações a partir de amanhã (21) após o decreto n.º. 14.199, que determina que locais devem ter no máximo 20 pessoas trabalhando simultaneamente, além de ter disntância mínima de dois metros um do outro.

Jornal Midiamax