Cotidiano

Apesar de pandemia, número de transplantes de órgãos cresce neste ano em MS

O número de transplantes realizados em Mato Grosso do Sul neste ano cresceu 10% em relação ao ano passado. Em 2019, MS registrou 102 transplantes, enquanto em 2020, o número já é de 112 cirurgias entre janeiro e outubro. Segundo a SES (Secretaria Estadual de Saúde), a cresce não tem relação com as mortes relacionadas […]

Mariane Chianezi Publicado em 27/10/2020, às 15h30 - Atualizado em 28/10/2020, às 08h56

Foto: ilustrativa
Foto: ilustrativa - Foto: ilustrativa

O número de transplantes realizados em Mato Grosso do Sul neste ano cresceu 10% em relação ao ano passado. Em 2019, MS registrou 102 transplantes, enquanto em 2020, o número já é de 112 cirurgias entre janeiro e outubro.

Segundo a SES (Secretaria Estadual de Saúde), a cresce não tem relação com as mortes relacionadas ao coronavírus, que já vitimou 1,5 mil moradores no estado. Isso porque, quem não resiste ao vírus, fica impossibilitado de ser um doador de órgãos, explicou a secretaria.

O aumento nos transplantes pode estar relacionado também com o retorno do procedimento para na Santa Casa de Campo Grande, que voltou a realizar transplante de coração após sete anos. O Hospital da Cassems também realizou neste ano o primeiro transplante do órgão em MS.

Neste ano, a secretaria divulgou que foram registrados 38 doadores de órgãos, totalizando 201 órgãos coletados. Em 2019 foram 26 doadores e 178 órgãos coletados. “Houve o aumento de doadores, órgãos coletados e transplantes realizados em Mato Grosso do Sul em 2020 em comparação a 2019”, disse a SES em nota.

Em 2020 foram realizados 112 transplantes em Mato Grosso do Sul, sendo 03 de coração, 21 de rim e 88 de córneas. Em 2019 foram feitos 102 transplantes, sendo 91 de córneas e 11 de rim. Somente entre agosto e outubro, foram 12 transplantes feitos, de acordo com levantamento anterior da SES. Em agosto, quase 100 sul-mato-grossenses já haviam recebido doação de órgãos.

Família autoriza doação de órgãos de criança

Recebemos orações de gente que nem conhecemos, na esperança de que ele voltasse. Ele não voltou, mas ele deu vida”. É com esse pensamento que a família se despede da criança de 3 anos, que morreu após se afogar em um parque aquático de Campo Grande. Os órgãos e tecidos do pequeno serão doados. “Ele vai levar luz”, afirmou Marta Alves Felipe, amiga da família.

O acidente ocorreu no domingo, dia 18 de outubro, e a criança foi levada ao hospital. Foram sete dias lutando pela vida, mas o pequeno não resistiu. Morreu ontem (25), no Hospital Cassems, onde estava internado na UTI (Unidade de Terapia Intensiva) pediátrica.

Foram sete dias de intensas orações. “Gente que nunca vamos conhecer, de outros países, nos procuraram, oraram, pediram”, conta Marta. Infelizmente, o pequeno se foi, deixando na lembrança de quem fica, sua alegria, sua luz. “Ele veio para nos trazer alegria, luz, amor, nos ensinar a amar”. A família autorizou a doação dos órgãos. “Ele vai ser luz na criança que vai receber os olhos dele e no coraçãozinho que vai bater em outro peito”, diz Marta.

Jornal Midiamax