Cotidiano

AGORA: equipe da Prefeitura chega a call center após novas denúncias de irregularidade

Uma equipe da Prefeitura de Campo Grande, composta pela GCM (Guarda Civil Metropolitana), Coordenadoria de Vigilância Sanitária e Semadur ( Secretaria Municipal de Meio Ambiente e Desenvolvimento Urbano) está neste momento em uma unidade da BTCC, que chegou a ser interditada no fim de semana. O objetivo é averiguar se o decreto municipal está sendo […]

Guilherme Cavalcante Publicado em 23/03/2020, às 10h09 - Atualizado às 10h39

Fiscalização da Prefeitura em uma das unidades da BTCC | Foto: Marcos Ermínio
Fiscalização da Prefeitura em uma das unidades da BTCC | Foto: Marcos Ermínio - Fiscalização da Prefeitura em uma das unidades da BTCC | Foto: Marcos Ermínio

Uma equipe da Prefeitura de Campo Grande, composta pela GCM (Guarda Civil Metropolitana), Coordenadoria de Vigilância Sanitária e Semadur ( Secretaria Municipal de Meio Ambiente e Desenvolvimento Urbano) está neste momento em uma unidade da BTCC, que chegou a ser interditada no fim de semana. O objetivo é averiguar se o decreto municipal está sendo respeitado. A equipe também afirma que recebeu novas denúncias de irregularidades.

A equipe informou que a empresa teria uma decisão liminar para que voltasse a funcionar. “Vamos ver essa decisão, ainda não tivemos acesso a ela, mas ela deve garantir o funcionamento se as condições do decreto estiverem sendo atendidas”, explica Valério Azambuja, titular da Sesdes (Secretaria Municipal Especial de Segurança e Defesa Social).

A Vigilância Sanitária de Campo Grande reforçou que a fiscalização também é motivada por mais de 300 denúncias após o fechamento. “Vamos observar a aglomeração de pessoas. Só podem trabalhar 20 no call center. Caso isso não esteja sendo respeitado, eles serão multados novamente, em dobro, por reincidência. O que está em questão é a saúde do trabalhador”, relatou Silvio Lima, coordenador de Vigilância Sanitária.

A equipe afirmou que fará a mesma fiscalização em demais empresas do ramo. Nesta manhã, a empresa posicionou o Jornal Midiamaxque está cumprindo o estipulado no decreto, mas funcionários teriam denunciado que no mesmo salão haveria pelo menos 40 pessoas, separadas a uma estação de trabalho de distância. A reportagem aguarda o andamento da fiscalização no local.

Jornal Midiamax