Cotidiano

Novo presídio abre 603 vagas em MS, mas déficit ainda é superior a 9 mil

Será realizada nesta terça-feira (26), às 9 horas, a inauguração da Penitenciária Estadual Masculina de Regime Fechado da Gameleira, em Campo Grande. O novo presídio tem estrutura para abrigar 603 presos, mas o déficit geral de vagas ainda é superior a 9 mil.  De acordo com o Mapa Prisional da Agepen (Agência Estadual de Administração […]

Renan Nucci Publicado em 25/11/2019, às 15h42

Novo presídio será inaugurado na manhã desta terça-feira (26). Foto: Assessoria
Novo presídio será inaugurado na manhã desta terça-feira (26). Foto: Assessoria - Novo presídio será inaugurado na manhã desta terça-feira (26). Foto: Assessoria

Será realizada nesta terça-feira (26), às 9 horas, a inauguração da Penitenciária Estadual Masculina de Regime Fechado da Gameleira, em Campo Grande. O novo presídio tem estrutura para abrigar 603 presos, mas o déficit geral de vagas ainda é superior a 9 mil. 

De acordo com o Mapa Prisional da Agepen (Agência Estadual de Administração do Sistema Penitenciário), Mato Grosso do Sul dispõe oficialmente de 9.472 vagas, mas abriga 19.388 detentos, ou seja, opera com mais do que o dobro da capacidade.

Com a inauguração da nova unidade, haverá sensível mudança na superlotação, mas ainda restará o déficit de 9.313 vagas. Boa parte deste cenário é reflexo do tráfico de drogas, principalmente por conta das fronteiras com Bolívia e Paraguai.

Grandes produtores de cocaína e maconha, os países abastecem o mercado consumidor brasileiro. O volume de droga que entra no Brasil pelo território sul-mato-grossense é grande e, consequentemente, o total de prisões também.

Ainda conforme o Mapa Prisional, o tráfico de drogas corresponde a 41% da massa carcerária administrada pelo Estado. Ou seja, dos 19.388 internos, 7.855 estão relacionados a crimes de drogas. Roubos e furtos, que fomentam o tráfico, vêm logo em seguida.

O Presídio

A unidade foi construída em parceria  entre Estado e União, com investimento de mais de R$ 18,9 milhões, sendo R$ 14,5 milhões oriundos de recursos federais do Departamento Penitenciário Nacional (Depen) e R$ 4,3 milhões do Estado. 

O presídio conta com uma área total de 18,1 mil m² e mais de 5,7 mil m² de área construída, sendo composta por 101 celas coletivas e individuais (isolamento), salas de aula, setores administrativos e de assistência psicossocial, ala de saúde, áreas de visita, entre outros espaços.

A penitenciária já se encontra equipada, com investimento já realizado de R$ 938.814,26 em aparelhamento. Também já foi providenciada uniformização para todos os custodiados a serem alojados neste estabelecimento prisional. Ao todo, a penitenciária possui 78 celas divididas em três pavilhões; um pavilhão com 11 celas da saúde e 12 celas disciplinares.

Jornal Midiamax