Cotidiano

GNV será vendido a R$ 3,99/kg em Campo Grande a partir de 2020

Com a venda de GNV (Gás Natural Veicular) passando a ser vendida por quilo, os motoristas que tem veículos abastecidos com o combustível precisam ficar atentos para 2020. Atualmente seis postos em Campo Grande comercializam o gás que a partir do próximo ano passará a ser vendido de m³ por R$ 3,19 para R$ 3,99/kg. […]

Ana Palma Publicado em 21/12/2019, às 13h52 - Atualizado em 22/12/2019, às 14h19

Carro sendo abastecido com o GNV (Leonardo de França, Midiamax)
Carro sendo abastecido com o GNV (Leonardo de França, Midiamax) - Carro sendo abastecido com o GNV (Leonardo de França, Midiamax)

Com a venda de GNV (Gás Natural Veicular) passando a ser vendida por quilo, os motoristas que tem veículos abastecidos com o combustível precisam ficar atentos para 2020. Atualmente seis postos em Campo Grande comercializam o gás que a partir do próximo ano passará a ser vendido de m³ por R$ 3,19 para R$ 3,99/kg.

A mudança no padrão foi anunciada na última quarta-feira (18). A diretora técnica da AEM (Agência Estadual de Metrologia), Luciana Boni, ressaltou que a troca na forma de oferecer o produto vai afetar apenas os postos de combustíveis. “Para o consumidor o valor não altera, mas garante maior confiabilidade”, diz.

O chefe da Divisão de Supervisão em Metrologia Legal do Inmetro, Maurício Condessa, disse que a mudança no padrão de medição baseia-se em estudo de técnicos do próprio órgão. “A mudança é crucial e tem que acontecer. É importante para trazer para a sociedade uma melhor qualidade nesse controle e mais segurança na medição”.

Condessa esclareceu que a mudança está alinhada com padrões da Organização Internacional de Metrologia Legal e deverá ocorrer no primeiro semestre de 2020. Luciana relata que atualmente em Mato Grosso do Sul há 24 bicos de GNV, todas na capital, mas nem todos estão em funcionamento.

O que ainda impede que muita gente migre para o GNV é a desconfiança sobre queda de potência do veículo e, principalmente, o preço do kit mais a instalação. Em uma das duas únicas mecânicas da Capital certificadas pelo Inmetro, o preço médio é de R$ 5,2 mil. O tamanho do cilindro depende da vontade do proprietário do veículo em ocupar o bagageiro. Em média, o mais vendido em Campo Grande é de 15 metros cúbicos, onde chegam a caber 13 metros por ‘abastecida’.

De acordo com a diretora técnica da AEM, esse cilindro que recebe o gás natural tem que ser homologado pelo Inmetro.

Mudanças nas bombas

Conforme a MS Gás, o projeto ainda está em revisão de regulamento técnico pelo Inmetro e até fevereiro de 2020 deverá sair a resolução final. Após a aprovação haverá um tempo para que os postos se adaptem às mudanças.

O consumo de GNV no Estado de MS cresceu 2% em 2019 com relação a 2018 e, a previsão para 2020 é de um crescimento de 5%;

Nas bombas em Mato Grosso do Sul o valor não sofrerá muita mudança, pois atualmente o motorista gasta R$ 40 em metros cúbicos, vai pagar os mesmos R$ 40 para encher o mesmo cilindro em quilos.

“Devido a isso a MS Gás já está planejando uma campanha para esclarecer ao consumidor sobre a mudança, e de forma simplificada, mostrar o valor equivalente em outros combustíveis”, disse empresa em nota ao Midiamax.

Como migrar para o CNV

Todos os veículos que usam gasolina, etanol ou flex, além de veículos pesados a diesel, podem migrar para o abastecimento a gás. Para utilizar o GNV, deve ser feito a instalação de um kit em oficina credenciada pelo Inmetro, passar pelo Detran-MS, por vistoria e o documento do veículo com adição do novo combustível, explicou a MS Gás.

Jornal Midiamax