Força-tarefa recolhe três toneladas de potenciais criadouros de dengue

Uma força-tarefa de combate ao mosquito da dengue foi realizada neste fim de semana e inspecionou 2,8mil imóveis e recolheu mais de três toneladas de potenciais criadouros do mosquito Aedes Aegypti nos bairros Paulo Coelho Machado e Mário Covas, em Campo Grande. Mais de 60 agentes de combate a endemias foram envolvidos na ação e […]
| 01/04/2019
- 12:41
Força-tarefa recolhe três toneladas de potenciais criadouros de dengue

Uma força-tarefa de combate ao mosquito da foi realizada neste fim de semana e inspecionou 2,8mil imóveis e recolheu mais de três toneladas de potenciais criadouros do mosquito nos bairros Paulo Coelho Machado e Mário Covas, em Campo Grande. Mais de 60 agentes de combate a endemias foram envolvidos na ação e contou com o apoio da Sisep (Secretaria Municipal de Infraestrutura e Serviços Públicos).

Relatório do CCEV (Coordenadoria de Controle de Endemias Vetoriais) aponta que foram inspecionados 2.898 imóveis que foram abertos com a ajuda de um chaveiro e foram eliminados 52 focos do mosquito transmissor de dengue, zika e chikungunya.

Foram recolhidos 2,7 mil materiais que serviriam para acúmulo de água parada, somando três toneladas. O trabalho conta com o apoio do setor de Educação em Saúde da coordenadoria que desde o início da semana percorreu os locais de uso comum da região, além de missas e cultos, fazendo o trabalho de orientação aos moradores a fim de conscientizar sobre a importância da prevenção.

Epidemia

Campo Grande já soma mais de 15 mil notificações de casos suspeitos de dengue, conforme o boletim epidemiológico apresentado pela Sesau (Secretaria Municipal de Saúde) na semana passada. Até o dia 26 de março, a Capital contou com 15.118 casos suspeitos.

Os números divulgados sugerem possível desaceleração no avanço da epidemia de dengue no município. A Sesau interpreta o relatório como pequeno recuo nos casos, reflexo das ações de combate a focos do mosquito Aedes aegypti, intensificadas nas últimas semanas.

Apesar do aumento linear, os números projetam provável desaceleração no avanço da epidemia: até o dia 26, os casos investigados foram incrementados com 2.127 notificações. Porém, na semana anterior (12 a 19 de março), foram 2.348 notificações, o que representa uma redução de pouco mais de 220 casos.

(Colaborou Guilherme Cavalcante)

Veja também

Comunidade Esperança, localizado no Bairro Noroeste em local conhecido como “Aterro do Noroeste” entrou em...

Últimas notícias