Cotidiano

Por dívida de R$ 1,2 milhão à prefeitura, Surian deve virar escola infantil bilíngue

Um acórdão publicado nesta segunda-feira (18) no Diogrande (Diário Oficial de Campo Grande), detalha resolução entre a Prefeitura Municipal e a Sociedade Beneficente Surian, que após dívida de R$ 1,2 milhão em IPTU, cedeu o prédio ao Município para quitar a dívida e, com isso, o clube deverá sediar a 1ª EMEI (Escola Municipal de […]

Mariane Chianezi Publicado em 18/11/2019, às 15h51 - Atualizado em 19/11/2019, às 08h10

 Foto: Minamar Júnior, Midiamax
Foto: Minamar Júnior, Midiamax - Foto: Minamar Júnior, Midiamax

Um acórdão publicado nesta segunda-feira (18) no Diogrande (Diário Oficial de Campo Grande), detalha resolução entre a Prefeitura Municipal e a Sociedade Beneficente Surian, que após dívida de R$ 1,2 milhão em IPTU, cedeu o prédio ao Município para quitar a dívida e, com isso, o clube deverá sediar a 1ª EMEI (Escola Municipal de Educação Infantil) bilíngue da Capital.

Por dívida de R$ 1,2 milhão à prefeitura, Surian deve virar escola infantil bilíngue
Secretario da Sefim, Pedro Pedrossian Neto | Foto: Minamar Júnior, Midiamax

Conforme Pedro Pedrossian Neto, titular da Sefin (Secretaria Municipal de Finanças e Planejamento), o clube está desativado há mais de 10 anos e, neste mesmo período, deixou de pagar as contas de IPTU.

“Nós tivemos uma conversa junto com a diretoria para que eles passassem ao Município para pagar essa dívida. Só que eles aceitaram com a condição de que a gente fizesse a revitalização preservando todo o patrimônio histórico e arquitetônico, e que fosse mantida o nome Surian”, explicou o secretário da Sefin ao Jornal Midiamax.

Por tanto, a EMEI Surian, que terá a capacidade para 450 crianças, ainda deverá levar um tempo para começar a sair do papel. No entanto, há cerca de um ano durante as negociações com o clube, o Município já adiantou em como o projeto deverá ficar. Estacionamento, parquinho de diversões, biblioteca, salas de aula e memorial do clube estão previstos no projeto.

“Houve reunião na Câmara de Negociação Fiscal para tratar do caso Surian. Por fim, decidiu-se que esse acordo era viável e agora vai ser assinado o termo e na sequência vamos ao cartório passar à Prefeitura. [Com o registro] em mãos, vamos buscar emendas e recursos federais para fazer a construção da escola. Não é o fim do clube, é um novo começo”, pontuou Pedrossian.

A resolução do acórdão pode ser acessada no Diogrande desta segunda-feira (18) na página 31, clicando aqui.

Anos Dourados

Os campo-grandenses que aproveitaram os anos dourados do Clube Surian, localizado na Avenida Mato Grosso, permanecerá com as lembranças do clube nas décadas de 70, 80 e 90.

As festas, que tinham presença maciça de adolescentes, eram realizadas sempre das 10 horas até por volta do meio-dia, ou então das 15 horas até o início da noite, bem diferente dos tempos hoje em que baladas tipo Rave chegam durar 24 horas.

Os estilos musicais que predominavam eram House e New Wave. “Era o que a gente chama hoje de Flashback. Inclusive, esse estilo fez tanto sucesso, que tem ganhado cada vez mais espaço na mídia atualmente. Eu mesmo tenho um programa na Rádio FM 104 Educativa que apresenta apenas músicas desta época”, lembrou o DJ Juju em entrevista ao Midiamax em série especial sobre o aniversário de Campo Grande, em agosto.

Além do Surian, outros clubes ficaram na memória dos moradores, como Clube Ipê, Chatanooga, Apoteose, 360, Libanês, Chimbal, Túnel e Okinawa – muitos foram extintos.

Jornal Midiamax