Cotidiano

20% dos coletores de lixo param em Campo Grande contra atraso no vale alimentação

Coletores de lixo de Campo Grande, que trabalham na empresa CG Solurb, decidiram em assembleia realizada na manhã desta segunda-feira (7) pela paralisação das atividades. O motivo é porque a empresa ainda não depositou R$ 472,50, referente ao ticket alimentação, que deveria ter sido pago na última terça-feira (1º). Apesar da definirem pela paralisação em […]

Guilherme Cavalcante Publicado em 07/10/2019, às 08h54 - Atualizado às 14h49

Parte dos trabalhadores decidiram não sair para a coleta nesta segunda-feira | Foto: WhatsApp | Do Leitor
Parte dos trabalhadores decidiram não sair para a coleta nesta segunda-feira | Foto: WhatsApp | Do Leitor - Parte dos trabalhadores decidiram não sair para a coleta nesta segunda-feira | Foto: WhatsApp | Do Leitor

Coletores de lixo de Campo Grande, que trabalham na empresa CG Solurb, decidiram em assembleia realizada na manhã desta segunda-feira (7) pela paralisação das atividades. O motivo é porque a empresa ainda não depositou R$ 472,50, referente ao ticket alimentação, que deveria ter sido pago na última terça-feira (1º).

Apesar da definirem pela paralisação em assembleia, apenas cerca de 20% da categoria manteve-se à decisão e o restante saiu para a coleta. Trabalhadores da varrição de ruas também decidiram por continuar as atividades.

De acordo com o vice-presidente da Steac-MS (Sindicato dos Trabalhadores nas Empresas de Asseio e Conservação do MS), Ton Jean Ramalho Ferreiro, a empresa não depositou o ticket alimentação, mas sinalizou que o pagamento salarial ocorreria até o fim do dia.

Na última sexta-feira (4), a CG Solurb enviou nota ao Jornal Midiamax, na qual destacou que o depósito do ticket alimentação não ocorreu na data acertada porque a Prefeitura “não quitou os serviços prestados nos meses de Julho e Agosto de 2019″.

Ainda segundo a empresa, a Prefeitura teria informado que realizaria um dos pagamento ainda na sexta-feira (4), quantia que “será o suficiente para realizar especificamente o pagamento dos funcionários”.

O Jornal Midiamax também acionou a Prefeitura de Campo Grande, mas até a publicação não houve posicionamento.

Jornal Midiamax