Cotidiano

Candidatos do concurso da SED protestam e pedem cancelamento da prova

Candidatos do polêmico concurso para professores da SED (Secretaria Estadual de Educação) protestaram em frente a governadoria na tarde desta quarta-feira (30), pedindo o cancelamento da prova. O resultado da prova com o nome dos aprovados foi divulgado nesta manhã no Diário Oficial do Estado. Os professores que participaram do ato, afirmaram que o número […]

Mariane Chianezi Publicado em 30/01/2019, às 15h31 - Atualizado em 31/01/2019, às 10h03

Foto: Marcos Ermínio/Jornal Midiamax
Foto: Marcos Ermínio/Jornal Midiamax - Foto: Marcos Ermínio/Jornal Midiamax

Candidatos do polêmico concurso para professores da SED (Secretaria Estadual de Educação) protestaram em frente a governadoria na tarde desta quarta-feira (30), pedindo o cancelamento da prova. O resultado da prova com o nome dos aprovados foi divulgado nesta manhã no Diário Oficial do Estado.

Os professores que participaram do ato, afirmaram que o número de aprovados foi mínimo, sendo que, dos 14 mil inscritos, apenas 73 foram aprovados. A segunda chamada do concurso acontecerá em fevereiro.

Segundo Karilene da Silva, professora de língua portuguesa há 10 anos, a prova que foi aplicada no dia 16 de dezembro, estava mal elaborada e a fiscalização durante a aplicação foi muito fraca. No dia 18, os candidatos organizaram um abaixo-assinado com 5 mil assinaturas pedindo a suspensão do concurso.

“As vezes as pessoas pediam para ir ao banheiro e os banheiros ficavam cheios e não tinham um fiscal para ficar olhando. Uma mulher estava com mochila e ficava abrindo toda a hora durante a prova para pegar comida e ninguém foi verificar o que tinha na mochila”, disse.

Outra reivindicação foi a quantidade de questões para pouco tempo de prova. Foram 80 questões para 4 horas de duração. A desorganização na hora de entregar a prova também chamou atenção dos candidatos.

Jania Rezende, professora de ciências biológicas há 4 anos, disse que as carteiras já estavam sinalizadas com os nomes e no momento em que as provas eram entregues, os aplicadores se quer verificavam os nomes. “A prova estava mal formatada, com fontes diferentes e tamanhos diferentes. Muitos já até procuraram o MPE”, contou a reportagem.

Já a candidata Daniele Cristine, professora de educação física, relatou que está decepcionada com a prova e que, ao invés de divulgarem o gabarito, divulgaram as provas com as questões marcadas.

Nota da Fetems

A Fetems (Federação dos Trabalhadores em Educação de Mato Grosso do Sul) divulgou nota e disse que está analisando a primeira etapa do concurso. Confira a nota na íntegra:

“A Direção da FETEMS (Federação dos Trabalhadores em Educação de Mato Grosso do Sul) está analisando o resultado da primeira etapa do Concurso Público para Professores(as), da Rede Estadual de Ensino de Mato Grosso do Sul e aguardando a confirmação oficial do número de aprovados(as), porque na publicação do Diário Oficial apenas foi publicado a pontuação. Conforme divulgado pela imprensa local, apenas 0,5%, dos(as) 14.370 inscritos(as) foram classificados(as). Estamos aguardando o presidente da Comissão Organizadora do Concurso Público, Paulo Victor Oliveira encaminhar oficialmente o número de aprovados(as), caso confirme que apenas 0,5%, dos(as) candidatos(as) foram aprovados(as), a FETEMS estará entrando com uma ação para o cancelamento do Concurso Público.”

Jornal Midiamax