Cotidiano

Após demissão de funcionários e novo cronograma, construtora retoma obra na Ernesto Geisel

Depois de ficar paralisada por semanas, conforme moradores, a Dreno Construtora retomou a obra da Avenida Ernesto Geisel, em Campo Grande, após a Prefeitura Municipal estabelecer um novo cronograma para o projeto. A empreiteira, que já embolsou R$ 19 milhões do Município, teria demitido funcionários e deixou canteiro de obras completamente deserto. A equipe do […]

Mariane Chianezi Publicado em 30/09/2019, às 18h12 - Atualizado em 01/10/2019, às 19h53

Foto: Leonardo de França, Midiamax
Foto: Leonardo de França, Midiamax - Foto: Leonardo de França, Midiamax

Depois de ficar paralisada por semanas, conforme moradores, a Dreno Construtora retomou a obra da Avenida Ernesto Geisel, em Campo Grande, após a Prefeitura Municipal estabelecer um novo cronograma para o projeto. A empreiteira, que já embolsou R$ 19 milhões do Município, teria demitido funcionários e deixou canteiro de obras completamente deserto.

A equipe do Jornal Midiamax visitou o canteiro de obras nesta segunda-feira (30) e apurou que vários funcionários já davam seguimento no projeto nos lotes 2 e 3, etapas da obra que é de responsabilidade da Dreno. O lote 1, em frente ao Shopping Norte Sul, está em fase de pavimentação e deve ser entregue no final de setembro pela encarregada Gimma Engenharia.

De acordo com o secretário da Sisep (Secretaria Municipal de Infraestrutura e Serviços Públicos) Rudi Fiores, foram feitos apenas três repasses – março, junho e setembro- somando R$ 7,9 milhões e por conta dessa questão financeira a obra ficou parada 90 dias, e o período de chuvas pode prejudicar.

“Com o início do período de chuvas em outubro, que se estenderá até fevereiro, o andamento do serviço certamente será prejudicado”, admite Rudi.

Mas apesar das chuvas e da falta de pontualidade nos repasses, Rudi acredita que ainda em 2019 o primeiro lote seja concluído. “Faltam apenas colocar 5 metros de placas de concreto para contenção da margem direita, urbanização e implantação da ciclovia”, explica Rudi.

No dia 17 de setembro, o Sinticop-MS (Sindicato dos Trabalhadores na Construção Pesada) confirmou ter intermediado cerca de 10 acertos de funcionários da Dreno. No entanto, a empresa não confirmou os desligamentos. Rudi afirmou para a reportagem que as supostas demissões era de responsabilidade da empresa e, por ter um contrato, deveria cumpri-lo.

Novo cronograma

A Dreno está trabalhando na recomposição da base da pista centro-bairro da Avenida Ernesto Geisel. Concluído este trabalho, o pavimento será refeito e liberado o tráfego interditado desde o ano passado para a construção das paredes de gabião que estabilizaram o barranco da margem esquerda do rio. Também será liberado nesta semana o trânsito na pista centro-bairro entre as Ruas Santa Adélia e Abolição, perímetro do primeiro lote.

Se as condições climáticas permitirem, em 10 dias o tráfego estará liberado na pista centro-bairro, em toda a extensão do trecho em obras, entre as Ruas Santa Adélia e do Aquário. Em dois trechos (Santa Adélia/Abolição e Bonsucesso/Aquário) o trânsito vem sendo feito em meia pista. Interdição total,só mesmo no lote 2, entre as ruas Abolição e Bonsucesso.

Já embolsou R$ 19 milhões

A Dreno, responsável pela obra de revitalização entre as ruas da Abolição e Aquário, com cerca de 2 km de extensão da Ernesto Geisel, ganhou a licitação com orçamento previsto de R$ 35.375.000,00 para os dois lotes. Do total empenhado na obra, a Dreno já recebeu, conforme dados do Portal da Transparência, R$ 18.975.244,10. Quase 54% do total previsto em 16 meses de obra.

Nos primeiros meses da obra, entre abril e dezembro de 2018, a Dreno recebeu R$ 14.446.145,30 dos cofres públicos para dar segmento na revitalização. Neste ano, ainda segundo o Portal da Transparência, entre janeiro e setembro, a construtora já embolsou R$ 4.529.098,76.

Jornal Midiamax