Cotidiano

Saúde das árvores de Campo Grande será analisada por tomógrafo

Nesta semana, técnicos participam de treinamento para operar dois novos aparelhos que irão ajudar na avaliação de árvores em Campo Grande. O tomógrafo e o resistógrafo são os dois aparelhos adquiridos pela Semadur serão operados pelos técnicos da gerência de arborização.

Mylena Rocha Publicado em 03/05/2018, às 11h33 - Atualizado às 11h49

Foto: CG Notícias
Foto: CG Notícias - Foto: CG Notícias

Nesta semana, técnicos participam de treinamento para operar dois novos aparelhos que irão ajudar na avaliação de árvores em Campo Grande. O tomógrafo e o resistógrafo são os dois aparelhos adquiridos pela Semadur (Secretaria Municipal de Meio Ambiente e Gestão Urbana) serão operados pelos técnicos da gerência de arborização.

Um dos pontos mais conhecidos pela arborização na Capital, a Afonso Pena é uma referência pela beleza e tamanho de suas árvores. Apesar da beleza, nem sempre as árvores estão saudáveis ou segura para os moradores da cidade. No começo do ano, 13 delas caíram durante um temporal. Para auxiliar na emissão de laudos específicos quanto ao estado das árvores, os aparelhos foram adquiridos.

Segundo a Prefeitura, o tomógrafo será capaz de dimensionar o tamanho e a posição de possíveis lesões na árvore, além de analisar as raízes e permitir a localização precisa dos problemas apresentados. O software analisa os resultados que são emitidos na hora e com essas informações os agentes fiscais emitirão seus laudos com a recomendação adequada.

A análise do software dará a recomendação do do que deve ser feito com uma espécie de árvore específica, como por exemplo: remoção, substituição, poda, adubação, tratamento, entre outros. Já o resistógrafo irá medir a resistência da madeira à penetração de uma agulha inserida com movimentação constante.

Jornal Midiamax