Cotidiano

MS ocupa 2ª posição em ranking nacional de geradores de biomassa

Mato Grosso do Sul vem ganhando destaque na geração de energia a partir de biomassa. Segundo a Câmara de Comercialização de Energia Elétrica (CCEE), o estado ocupa a segunda posição no ranking nacional entre os maiores geradores desse tipo de energia. Conforme o CCEE, nos últimos cinco anos, MS avançou 58% na produção de bioenergia […]

Cleber Rabelo Publicado em 30/10/2018, às 18h37 - Atualizado em 31/10/2018, às 07h54

Foto: Divulgação/ Portal Brasil
Foto: Divulgação/ Portal Brasil - Foto: Divulgação/ Portal Brasil

Mato Grosso do Sul vem ganhando destaque na geração de energia a partir de biomassa. Segundo a Câmara de Comercialização de Energia Elétrica (CCEE), o estado ocupa a segunda posição no ranking nacional entre os maiores geradores desse tipo de energia.

Conforme o CCEE, nos últimos cinco anos, MS avançou 58% na produção de bioenergia e garantiu essa posição de destaque no ranking. Até o fechamento do ano a produção deve ser ainda maior de acordo com a câmara de comercialização, devido à safra de cana-de-açúcar que é o principal combustível utilizado na geração de biomassa.

No estado, 29 usinas termelétricas geram esse tipo de energia, de acordo com a Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel). Em capacidade instalada, as maiores são as unidades da Fibria e Eldorado indústrias de celulose.

O último balanço da CCEE revelou que o estado ocupa também a segunda posição em termos de capacidade instalada de bioenergia, com 1.904,8 MW médios.

MS ocupa 2ª posição em ranking nacional de geradores de biomassa
Foto: Divulgação/Semagro

Energia Renovável

A bioenergia é a denominação da energia obtida por meio da biomassa. O bagaço da cana-de-açúcar, biogás, capim elefante, carvão vegetal, casca de arroz, licor negro e resíduos florestais são alguns tipos de produtos considerados biomassa.

Conforme a diretora do Instituto Senai de Inovação em Biomassa, Carolina Andrade, a bioenergia é uma tendência para o futuro. “É uma energia renovável e já existem várias cadeias produtivas migrando para o uso da bioenergia. Em termos de impacto ambiental, é a melhor opção”, ressalta.

Jornal Midiamax