A três semanas do fim da campanha, MS vacinou 10% do grupo prioritário

Desde o lançamento da Campanha de Vacinação Contra a Influenza, Mato Grosso do Sul imunizou cerca de 76 mil pessoas, de acordo com informações do Datasus/MS. A campanha termina em três semanas, no dia 1 de junho, e o número de pessoas imunizadas corresponde a 10,3% do público-alvo: 737.395 pessoas.
| 10/05/2018
- 14:25
A três semanas do fim da campanha, MS vacinou 10% do grupo prioritário

Desde o lançamento da 20ª Campanha Nacional de ção Contra a , no último dia 23, Mato Grosso do Sul imunizou cerca de 76 mil pessoas, de acordo com informações do Datasus/MS. A campanha termina em três semanas, no dia 1 de junho, e o número de pessoas imunizadas corresponde a 10,3% do público-alvo: 737.395 pessoas.

Os dados foram divulgados no portal do governo do estado e, de acordo com a Coordenadoria de Imunização da SES (Secretaria de Estado de Saúde), o número de doses aplicadas pode ser ainda maior pois o registro da vacina é feito inicialmente de forma manual e, posteriormente, repassado ao sistema de dados do SUS (Sistema Único de Saúde).

No Estado, mais de 737 mil pessoas fazem parte do público-alvo e a SES espera vacinar ao menos 90% desse total, o que representa 663 mil pessoas. A campanha de vacinação termina dia 1° de junho e o próximo sábado (12) será dia de mobilização nacional – conhecido também como “Dia D”. Por enquanto, vacinação é dedicada a profissionais de saúde, crianças de seis meses a menores de cinco anos, gestantes, puérperas e professores.

A partir do Dia D, a vacinação será estendida para a população com idade acima de 60 anos. Para os demais grupos, a Campanha estará disponível a partir do dia 21 de maio. Segundo o Ministério da Saúde, a influenza é uma doença respiratória infecciosa, de origem viral, que pode levar ao agravamento e a morte, especialmente nos indivíduos que apresentam fatores ou condições de risco para as complicações da infecção.

Quem poderá se vacinar nos postos

Fazem parte do grupo prioritário: crianças de seis meses a menores de cinco anos; gestantes, puérperas; professores; profissionais da saúde; povos indígenas; pessoas com 60 anos ou mais; adolescentes e jovens de 12 a 21 anos sob medidas socioeducativas; população carcerária e funcionários do sistema prisional; pessoas portadoras de doenças crônicas não transmissíveis e outras condições clínicas especiais independente da idade.

Veja também

Últimas notícias