Cotidiano

Assassinato do radialista Edgar Lopes de Faria, o ‘Escaramuça’, completa 21 anos

O assassinato do radialista e apresentador de TV, Edgar Lopes de Faria, o “Escaramuça”, completa 21 anos nessa segunda-feira (29). O profissional foi morto a tiros no dia 29 de outubro de 1997, quando tinha 48 anos. No dia do homicídio, o radialista seguiu sua rotina de ir até a padaria localizada na Rua Amazonas, […]

Mariane Chianezi Publicado em 29/10/2018, às 16h59 - Atualizado em 30/10/2018, às 10h50

O radialista Edgar Lopes de Farias, 48 anos, conhecido como Escaramuça Foto: Divulgação
O radialista Edgar Lopes de Farias, 48 anos, conhecido como Escaramuça Foto: Divulgação - O radialista Edgar Lopes de Farias, 48 anos, conhecido como Escaramuça Foto: Divulgação

O assassinato do radialista e apresentador de TV, Edgar Lopes de Faria, o “Escaramuça”, completa 21 anos nessa segunda-feira (29). O profissional foi morto a tiros no dia 29 de outubro de 1997, quando tinha 48 anos.

No dia do homicídio, o radialista seguiu sua rotina de ir até a padaria localizada na Rua Amazonas, em Campo Grande, para tomar café e ler os jornais.

Escaramuça havia entrado na padaria há minutos quando teria sido chamado por alguém. Ao se virar, ele recebeu o primeiro tiro, que o atingiu próximo a axila. O assassino avançou e atirou cinco vezes com uma arma calibre 12. Os suspeitos, três homens, fugiram em um Chevrolet Corsa.

Em publicação no SIP (Sociedade Interamericana de Imprensa) em 2000, os detalhes do homicídio foram publicados em um relatório. Uma repórter, na época, tentou encontrar testemunhas para darem um depoimento anonimamente, mas teria sido ameaçada.

“Uma das testemunhas, procurada pela SIP, falou que não daria declarações porque, se dissesse alguma coisa, cortariam o seu pescoço e o da repórter. A outra pediu: ‘Quero que me esqueçam. Na hora em que aconteceu a tragédia, eu me assustei e saí correndo, quem ficaria ali'”, diz publicação.

Até hoje, o crime não foi desvendado e o inquérito policial foi arquivado. A morte violenta de Escaramuça é considerada uns dos crimes mais marcantes na história de Mato Grosso do Sul.

Jornal Midiamax