Cotidiano

Sinpol emite nota de repúdio contra Governo, ALMS e comando da PM

Por causa de acontecimentos durante votação da reforma da previdência

Diego Alves Publicado em 29/11/2017, às 00h38

None

Por causa de acontecimentos durante votação da reforma da previdência

O Sinpol (Sindicato dos Policiais Civis de Mato Grosso do Sul) emitiu uma nota de repúdio contra o Governo do Estado, presidente da Assembleia Legislativa, Junior Mochi (PMDB) e comandante da Polícia Militar, coronel Waldir Ribeiro Sinpol emite nota de repúdio contra Governo, ALMS e comando da PM

Segundo o Sinpol, o repúdio,  “é por causa dos acontecimentos registrados durante a manifestação pacífica dos servidores públicos”.

Além disso, a nota destaca que a reforma da previdência foi apresentada de maneira autoritária e diz que o comandante da Polícia Militar agiu de forma abrupta contra trabalhadores que protestavam de forma pacífica. 

Em uma sessão que durou cerca de 25 minutos, os deputados estaduais aprovaram, por 13 votos a 7 a reforma da previdência dos servidores.

Leia a nota:

O Sindicato dos Policiais Civis de MS (Sinpol-MS) vem a público repudiar a ação do Governo do Estado, do presidente da Assembleia Legislativa e do Comandante da Polícia Militar pelos acontecimentos registrados durante a manifestação pacífica dos servidores públicos na data de hoje (28). 

Ao governo do estado por ter apresentado uma reforma da previdência de maneira autoritária, sem antes dialogar com os principais prejudicados com as medidas. Ao presidente da Assembleia Legislativa por ter restringido o acesso dos servidores, mesmo tendo sido avisado que tal prática poderia fomentar um tumulto. 

Ao Comandante da Polícia Militar que agiu de forma abrupta contra trabalhadores que protestavam de forma pacífica, portanto não sendo necessário que armas letais fossem empunhadas. 

Vale ressaltar que dezenas de policiais civis também estavam no local protestando, mas por terem bom senso não confrontaram, zelando pela segurança dos demais manifestantes. O Sinpol-MS, como entidade que há 26 anos defende os direitos dos policiais civis, continuará sua luta mesmo diante das adversidades, pelo objetivo maior de um estado mais democrático para toda a sociedade sul-mato-grossense. 

Jornal Midiamax