O Centro Dia é uma Unidade da SAS

A Prefeitura de por meio da Secretaria Municipal de Assistência Social (SAS), encerrou nesta segunda-feira (28), o curso de bordado de ponto cruz para os frequentadores do Centro POP unidade vinculada a Superintendência de Proteção Social Especial de Média Complexidade que atende pessoas que utilizam as ruas como espaço de moradia e/ou sobrevivência.Prefeitura encerra curso ponto cruz para frequentadores do Centro Pop

“Essa parceria entre as unidades só vem fortalecer a rede sócio – assistencial, onde os usuários do Centro Pop que são pessoas que estão em situação de vulnerabilidade foram inseridos no Centro Dia, para aprender mais uma habilidade, um curso de geração de renda, uma capacitação profissional”, relatou Artêmio Versoza, coordenador do Centro POP.

O Centro Dia é uma Unidade da SAS, vinculada a Superintendência de Proteção Social Especial de Média Complexidade, que oferta serviços voltados às pessoas com deficiência, que devido à situação de dependência de terceiros, necessitam de apoio para a realização de cuidados básicos da vida diária. Atende pessoas com qualquer tipo de deficiência (física, visual, auditiva, intelectual entre outras) que se encontra em vulnerabilidade social e/ou risco social por violação de direitos.

O Centro Dia atende jovens e adultos entre 18 e 59 anos de idade, e tem a finalidade de promover autonomia, inclusão social e a melhoria da qualidade de vida das pessoas.

Aparecida Apolinário de Almeida, irmã de um usuário de 39 anos, frequentador há três anos do Centro Dia, conta que o curso foi mais que o esperado para eles, já que seu irmão além da deficiência também tem uma limitação significativa nas mãos, então ela pôde fazer com ele, e essa  integração familiar foi ótima, o acolhimento que sentiram, ele conseguiu aprender dentro de suas possibilidades e a ajuda a fazer o bordado e ela pensa em vender os panos de pratos para ter uma renda extra.

IMG_0643

“O curso foi bem edificante, temos usuários que começaram fazendo tortinho, aos poucos foram aperfeiçoando os pontos, temos uma usuária que faz com o pé, desenvolvendo muito a parte motora e cognitiva. Entenderam o valor do trabalho e precificaram seus panos, alguns chegaram a vender aprendendo a negociar, isso foi um ganho expressivo para todos, no sentido de sociabilização e fortalecimento de vínculos também”, contou Daniele Barbosa Arguello, cuidadora social do Centro Dia.

De acordo com a coordenadora do Centro Dia, Maysa dos Reis A evolução desses usuários foi bem nítida, primeiro por ampliar a rede de contatos sociais através do público do Centro POP, que participou aqui conosco desse curso e também na questão da evolução de um ganho motor, que favorece muito nas atividades de vida diária.

“O fato de trabalhar com equilíbrio e concentração durante a oficina de ponto cruz, favorece depois o dia-a-dia deles, são aquisições motoras para o desenvolvimento cerebral que favorecem depois as atividades básicas. E também a questão da geração de renda, tiveram a aquisição de um conhecimento, de uma arte, que não faz parte da nossa rotina, e como foram convidados alguns familiares que participaram, estes já relataram que venderam algumas peças que foram confeccionadas durante o curso” finaliza Maysa dos Reis Rodrigues.