Cotidiano

Intelad nega paralisação em UTI e culpa Estado por atraso no pagamento

SES diz que repasse está programado

Midiamax Publicado em 05/05/2017, às 11h43

None
hospital_regional_de_ponta_pora.jpg

SES diz que repasse está programado

Responsável técnica da UTI (Unidade de Tratamento Intensivo) do Hospital Regional Dr. José de Simone Netto – gerido pela  Intelad Gestão de Saúde Ltda -, nega paralisação anunciada pelo presidente do Siems (Sindicato dos Trabalhadores na Área de Enfermagem de Mato Grosso do Sul), Lázaro Santana. Raquel Amaral, afirma que o setor funcionará normalmente nesta sexta-feira (5).

Ontem, o presidente do Siems disse em entrevista ao Jornal Midiamax que funcionários da  Intelad Gestão de Saúde Ltda paralisariam as atividades hoje por falta de pagamento. De acordo com as informações, cinco pacientes estão internados no Hospital Regional de Ponta Porã – distante 346 quilômetros de Campo Grande.

Segundo Raquel, os 26 funcionários que atendem na UTI do hospital participarão da reunião com representantes do Siems, sem interromper as atividades. 

“Teremos uma reunião com o sindicato e não existe paralisação. Faremos movimento para iniciar a votação para possível paralisação dentro dos termos legais. Vamos manter a responsabilidade de atendimento integral com o número de pacientes”, assegura.

Apesar de negar a paralisação, a responsável técnica pela UTI do hospital admite a informação sobre o atraso no pagamento e justifica problemas com o recebimento do recurso encaminhado pelo governo do Estado. “Existe atraso por parte do Estado”, defende. 

Conforme as informações os trabalhadores ainda não receberam o salário referente a março e a previsão é de que o atraso ocorra também no pagamento de abril. “É muito delicado para nós porque estamos sem receber. Este provavelmente será o segundo mês sem salário”, afirma uma funcionária que prefere não se identificar.

Procurada pela equipe de reportagem do Jornal Midiamax, a assessoria de comunicação da SES (Secretaria de Estado de Saúde) afirma que o repasse estava programado e diz que vai averiguar se ocorreu algum problema com o pagamento. 

Jornal Midiamax