Motocicistas cercaram família e cobraram R$ 10 por pessoa

A cachoeira conhecida como Céuzinho, na região noroeste de , virou assunto nas redes sociais depois que um campo-grandense denunciou nas redes sociais a tentativa de cobrar ‘pedágio turístico'. O episódio aconteceu no último sábado (26), quando uma família acabou ‘barrada' por motociclistas que cobravam R$ 10 por pessoa para tomar banho no local.

Segundo o consultor de vendas, Antônio Luiz dos Santos, de 39 anos, ele estava acompanhado pela esposa e a sogra, que estava visitando a cidade. “O fato ocorreu no aniversário de Campo Grande. A gente foi para apresentar a cachoeira para a sogra e acabamos impedidos por um grupo de motociclistas que estava cobrando 10 reais por pessoa. Eles disseram que a área era deles e que eles tinham o direito de cobrar”, conta.

De acordo com o consultor, o grupo tinha em torno de 10 pessoas e, pelas roupas, pareciam ser de motociclistas que fazem trilha na região. Não foi permitida a entrada da família na cachoeira. “O rapaz falou que nunca mais entraria lá de graça e que se eu quisesse tomar banho de graça, eu deveria ir para minha casa”, falou.​Grupo cobra 'entrada' na Céuzinho e Prefeitura diz que área é particular

Antônio contou que pediu para ver alguma documentação que comprovasse que eles eram proprietários da área, mas foi tratado com deboche. “Eles não apresentaram nada, simplesmente riram”, disse. Apesar do fato, o consultor não procurou a polícia.

De acordo com a assessoria da prefeitura da Capital, que chegou a informar que o local era área pública, na verdade a cachoeira está em propriedade particular, mas não há informações ainda sobre as condições da suposta cobrança. A Semadur deve conferir os detalhes. (Colaborou Anny Malagolini | Texto editado às 9h de 29/8/2017, para retificação de informação repassada pela Assessoria de Imprensa da Prefeitura)