22 mil ainda não possuem títulos definitivos

O governo de Mato Grosso do Sul informou nesta terça-feira (290, que 600 assentados da devem ser beneficiados com o título definitiva de terra até o fim do ano. O Estado tem 28 mil trabalhadores rurais assentados, e cerca de 22 mil ainda não possuem títulos definitivos. 

Em reunião na Assembleia Legislativa de Mato Grosso do Sul, na manhã desta terça-feira (29), trabalhadores rurais sem-terra debateram o marasmo que vive a Reforma Agrária com o diretor-presidente da Agraer (Agência de Desenvolvimento Agrário e Extensão Rural), Enelvo Felin e com o secretário Carlos Assis, titular da Sad (Secretaria de Administração e Desburocratização).  

Enelvo informou que o Estado está trabalhando junto com Incra para acelerar titularidade das áreas, e que cinco servidores foram deslocados ao órgão federal para ajudar a acelerar os procedimentos. 
 “A intenção é passar de 600 famílias já com o título em mãos, até o fim do ano”, declarou. 

Embora o número ainda seja baixo em comparação ao total de terras não regulamentadas, o diretor-presidente da Agraer explicou a meta é um avanço, tendo em vista que em 2014 foram apenas 57. 

Em novembro do ano passado, o Governo de Mato Grosso do Sul e o Incra (Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária) assinaram convênio para garantir a titularidade de pequenos produtores do Estado. Basicamente, o acordo tem objetivo de resolver a regulamentação das terras.