Cotidiano

Família e amigos de Mayara fazem protesto pedindo por Justiça

Mayara foi morta com golpes de tesoura

Wendy Tonhati Publicado em 01/10/2017, às 18h30

None

Mayara foi morta com golpes de tesoura

Familiares e amigos de Mayara Fontoura Holsback, morta aos 18 anos, no último dia 16, fizeram um protesto na tarde deste domingo (1°), na Praça Ary Coelho, em Campo Grande. Com cartazes, o grupo de cerca de 30 pessoas pediu por justiça e a prisão do ex-marido de Mayara, um homem de 32 anos apontado como autor do feminicídio.

A mãe de Mayara, Ana Fontoura Dias, 41 anos, afirmou que se sente ameaçada com o ex-marido de jovem solto pelas ruas. Segundo ela, antes de cometer o crime, o suspeito já ameaçava a Mayara e a família. A mãe diz que quer vê-lo preso e que o julgamento ocorra de forma rápida.

O grupo pretende caminhas pela Avenida Afonso Pena, passando por ruas da área centra da Capital.

Feminicídio

O crime é investigado pela Deam (Delegacia Especializada em Atendimento à Mulher). O corpo da jovem foi encontrado pelos irmãos, depois que Viviane Fontoura Holsback, 20 anos, irmã de Mayara, recebeu uma ligação contando sobre o possível crime. A jovem foi encontrada deitada na cama, enrolada apenas a um edredom, já sem vida.

Família e amigos de Mayara fazem protesto pedindo por Justiça

Com mais de dez passagens envolvendo apenas casos de violência doméstica,

O homem foi condenado pela lesão corporal a três meses de reclusão, em regime aberto e a três anos e sete meses pela tentativa de homicídio. Foi preso e fugiu do sistema prisional de Campo Grande pelo menos três vezes. Ainda assim, recebeu a liberdade provisória do dia 14 de setembro, véspera do assassinato de Mayara, por ter cumprido parte das penas e não ter “registro de falta grave em 2016”.

Jornal Midiamax