Preços variam de R$ 3,79 a R$ 3,35

Disputa por cliente e reinauguração baixaram o preço da gasolina em alguns postos de . Pesquisa realizada nesta quinta-feira (17), pela equipe do Jornal Midiamax mostra em que alguns locais é possível pagar R$ 3,35 pelo litro da gasolina.

Na região central, os preços variam de  R$ 3,79 a R$ 3,35, mas a maioria mantém os valores entre R$ 3,59 e R$ 3,69. Em busca de pagar menos, consumidores fazem filas nos postos de combustível da Capital. 

No cruzamento entre a Marechal Cândido Mariano Rondon e Almirante Barroso, o preço é de R$3,35 para pagamentos em dinheiro e cartão de débito. No local, cartões de crédito não são aceitos. A gerência diz que a redução se deve a promoção de reinauguração do posto que ocorreu há dois dias. 

Marcos Roberto Faria Lima, de 47 anos, garante que vale a pena esperar. “Fiquei uns 15 minutos na fila, mas compensa principalmente para quem vai abastecer um valor maior. Procurei e não achei preço menor”, afirma. 

Disputa por cliente derruba preço e gasolina a R$ 3,35 provoca filas

Aldo Ugarte, de 37 anos, motorista da Uber, diz que mora próximo ao aeroporto e abastece na região central para economizar. “Rodo toda a cidade e os valores estão em torno de R$ 3,70”, observa.

Na Maracaju com a Calógeras a gasolina é vendida a R$ 3,39, tanto à vista quanto no crédito. A gerência admite que o valor é para atrair a freguesia.

“Está difícil manter o valor, mas mantemos por conta da concorrência. Estamos trabalhando praticamente com lucro zero. Isso não deve permanecer por muito tempo”, observa.Disputa por cliente derruba preço e gasolina a R$ 3,35 provoca filas

Everal Ribeiro, de 41 anos, mora no Aero Rancho e diz que realiza pesquisas de preço até o centro da cidade, onde os valores são mais em conta.

“A diferença é de quase R$ 0,30 e aqui além de barato a gasolina é boa. Vale a pena até desviar o caminho e abastecer mais barato”, garante.  

Reajustes – 

Na última segunda-feira (14) a Petrobras anunciou redução de 1,4% no valor da gasolina vendida às distribuidoras. Dois dias antes, houve aumento de 1,6 no combustível. 

Os novos valores apresentados no início desta semana entraram em vigor na terça-feira (15), porém, a companhia não informou o quanto a medida incidiria nos valores pagos pelos consumidores.

A livre concorrência aplicada pelos revendedores mencionada pelo a assessoria de comunicação do Sinpetro-MS (Sindicato do Comércio Varejista de Combustíveis, Lubrificantes e Lojas de Conveniência de Mato Grosso do Sul).

Em contato com o sindicato, a equipe de reportagem do Jornal Midiamax foi informada de que o mercado é livre e que o sindicato não comenta sobre os valores cobrados.

Pesquisa da ANP (Agência Nacional de Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis) realizada entre os dias 6 e 12 de agosto, em 31 postos de combustíveis de Campo Grande mostram que o preço mínimo da gasolina é de R$ 3,29 para o consumidor. Já o valor médio custa R$ 3,56, mas em alguns locais o valor continua elevado, em torno de 3,80.