Cotidiano

Demitidos, terceirizados da CCR MSVia bloqueiam BR-163 no norte de MS

Empresa quer parcelar direitos trabalhistas

Wendy Tonhati Publicado em 05/05/2017, às 11h43

None
c57b64dc-8ace-489f-acc2-a42e30bbe438.jpg

Empresa quer parcelar direitos trabalhistas

Operários de uma das empresas terceirizadas da CCR MSVia, que trabalhavam na duplicação da BR-163, bloquearam a rodovia – no KM 644 – localizado na região de São Gabriel do Oeste, a 133 quilômetros de Campo Grande.

De acordo com um dos funcionários da terceirizada, a empresa demitiu os operários após a paralisação das obras pela concessionária e informou que pagaria salários e as verbas rescisórias parcelados em até 15 vezes. “O sindicato esteve aqui e pediu uma assembleia para a quarta-feira, mas ficamos revoltados, pois, não tivemos muitas explicações e decidimos pelo protesto”.

De acordo com a PRF (Polícia Rodoviária Federal), a interdição ocorre nos dois sentidos. O congestionamento é de dois quilômetros no momento. O tráfego será liberado a cada 15 minutos. 

Conforme o funcionário, a CCR MSVia informou que um representante irá até o local para conversar com os operários. Há máquinas bloqueando a pista e aproximadamente 100 pessoas no local.

Paralisação

A CCR MSVia anunciou, no dia 12 de abril, a paralisação das obras de duplicação da BR-163, em Mato Grosso do Sul até que a ANTT (Agência Nacional de Transportes Terrestres) analise o pedido de revisão para mudar as regras do contrato firmado com a União.

A concessionária quer mudanças para duplicar a rodovia ‘onde for necessário’ ao longo dos 30 anos de concessão, podendo terminar o período sem que toda a rodovia tenha sido duplicada. O pedágio vai continuar sendo cobrado mesmo com a obra parada.

O presidente da concessionária, Roberto Calixto, avaliou que a situação ocorreu “em função da crise financeira, da diminuição de receita que a concessionária.

Jornal Midiamax