Cotidiano

Corrida por vacina contra gripe zera estoques no primeiro dia de liberação

Postos de saúde terão vacinas repostas na parte da tarde

Midiamax Publicado em 05/06/2017, às 13h30

None

Postos de saúde terão vacinas repostas na parte da tarde

A procura pela vacina contra a gripe H1N1 provocou filas e zerou os estoques dos postos de saúde de Campo Grande no primeiro dia de vacinação liberada para a população, fora o grupo de risco. Por causa da corrida pela dose, a Sesau (Secretaria Municipal de Saúde) estima que a rede só tenha autonomia para vacinar até quinta-feira, dia 8 de junho.

Anteriormente, apenas podiam se vacinar nos postos de saúde quem fazia parte do grupo de risco, como idosos, professores e gestantes. Ricardo explicou que a retirada da restrição de vacinar somente o público-alvo ocorreu porque ainda há 10 milhões de doses disponíveis na rede pública de saúde. A campanha já tinha sido prorrogada até 9 de junho.

Já primeiras horas após o início da distribuição, marcada para ás 7h30, as unidades de saúde registraram mais pessoas do que vacinas disponíveis. No posto de saúde Dr. Albino Coimbra Filho, no bairro Santa Carmélia, a lotação começou por volta das 6 horas, e foram distribuídas 178 senhas, de acordo com a ordem de chegada. Às 9 horas o local continuava tumultuado, entretanto, o estoque de imunização já estava zerado. 

Situação semelhante enfrentou a UBS (Unidade Básica de Saúde) do Lar do Trabalhador, que teve a procura maior que a oferta e preciso dispensar quem esperava na porta pela dose. Para quem acordou cedo em busca da vacina recém liberada, a falta de doses foi questão de organização. “É uma falta de respeito. Ficamos na fila, disseram que teríamos e depois que não teria mais”, critica Rosimeire França, de 37 anos. 

 A dificuldade para se imunizar inclui até os aqueles que são considerados do grupo de risco, e que ainda não haviam se tomado a vacina, como foi o caso de Liris de Souza, 50 anos, que levou o filho de dez anos; vítima do vírus A no mês passado, para tomar a dose nesta sefunda. “O médico recomendou que ele tomasse a vacina depois que estivesse curado”, conta. “Cheguei às 8 horas, ainda tinha dose, mas em uma nova contagem já disseram que não tinha e meu filho ficou sem”, questiona. 

A Sesau esclareceu ainda que as doses serão repostas na parte da tarde, mas com toda essa corrida pela vacinação, a secretaria adiantou que há somente 50 mil vacinas, ou seja, esse é o número de pessoas que podem ser vacinadas, e como o número não é alto, a conta é de que até quinta-feira todos os estoques estejam zerados. 

Jornal Midiamax