Cotidiano

Capital teve ventos de mais de 100 km/h e até torre de 40m caiu no temporal

Residência foi atingida

Midiamax Publicado em 16/08/2017, às 12h03

None

Residência foi atingida

Temporal que atingiu Campo Grande na tarde dessa terça-feira (15), provocou queda de árvores, destelhou casas e derrubou uma torre de 40 metros. As ocorrências foram atendidas pela Defesa Civil do Município. O meteorologista, Natálio Abrahão, afirma que os ventos chegaram a mais de 100 km/h (quilômetros por hora) em poucos minutos e foi estabilizado.

De acordo com o relatório informado nesta quarta-feira (16), pelo meteorologista, 74 descargas elétricas foram registradas durante a chuva e os ventos sofreram instabilidades.Capital teve ventos de mais de 100 km/h e até torre de 40m caiu no temporal

“Às 12 horas registramos ventos de 14,8 km/h; às 12h31 subiu para 55,6 km/h e em seguida sofreu um pico de 61 km/h para 101,9 km/h. Às 12h30 a velocidade caiu para 64,2 e um minuto depois estabilizou passando para 20 km/h”, relata.

De acordo com o meteorologista, a chuva deve continuar, mas com menos intensidade. A previsão é de que em Campo Grande chova 38,1 milímetros durante o mês de agosto. 

O temporal registrado ontem, provocou estragos, conforme registros da Defesa Civil da Capital. A primeira ocorrência foi um destelhamento de uma residência no Bairro Santa Emília, logo após o início do temporal. 

Em seguida, a segunda ocorrência, considerada mais grave, foi a queda de uma torre de transmissão de internet à rádio – de 40 metros -. A estrutura caiu sobre uma residência na Rua Engenheiro Edno Machado. 

Foto - Defesa Civil

“A torre afundou o telhado e danificou os móveis, mas a casa não precisou ser interditada. A empresa prestou toda a assistência. A família foi recomendada a deixar o local, mas se recusou e permitimos que ficasse porque a estrutura não foi comprometida”, explica o chefe de Divisão de Operações da Defesa Civil, Lenirdo Pedroso de Almeida.

Depois, equipes se deslocaram para ocorrência de queda de árvore sobre uma residência na Rua Otacílio de Souza, no Conjunto União. Parte da varanda foi danificada. Uma rede de baixa tensão também foi atingida e equipes da Energisa foram encaminhadas ao local. 

Na mesma rua houve uma ocorrência com vítima. Parte da estrutura da casa foi danificada e a moradora foi atingida por uma telha ao tentar socorrer o cachorro. A mulher teve de ser atendida por uma equipe do Samu (Serviço de Atendimento Móvel de Urgência).

Na Rua Antônio Bandeira, no conjunto  Buriti uma árvore caiu e interditou a via. A rede de alta tensão foi atingida e equipes da Energisa foram acionadas.

Outras duas ocorrências foram registradas na Vila Sobrinho. A primeira foi sobre um destelhamento na Rua Guarapari. A família tomou a decisão de sair da casa, porém, a estrutura do imóvel não foi comprometida e o local não foi interditado.

Em seguida, houve outro destelhamento na Rua Carmelo Interlando. O vento tirou parte da telha de um sobrado. A cobertura atingiu o veículo que estava na garagem. Geisy Garnes

A Defesa civil recebeu informações de que barracos foram danificadas durante o temporal em duas comunidades localizadas no Jardim Noroeste, a do Linhão e Estrela da Manhã. As informações serão apuradas pelas equipes que vão ao local nesta manhã.

Ocorrências de quedas de árvores ainda serão verificadas nas ruas José Bogalho, no Iraci Coelho; Dom Henrique, na Pioneira; 125, no Nova Campo Grande e na Unidade de Saúde da Família Santa Carmélia, onde uma árvore caiu em cima do muro e parte dos galhos sobre o telhado. 

Outras ocorrências –

Ontem a equipe do Jornal Midiamax foi informada de que um pedreiro, de 38 anos, ficou ferido ao tentar se proteger dos granizos que caíram durante a chuva na região do  Aero Rancho

Uma família teve a casa destelhada e perdeu tudo durante o temporal. Fernanda Karolina Barroso, 19 anos, dona de casa, as duas filhas uma de 4 meses e uma de 3 anos e o marido também de 19 anos, residem em uma vila de kitnets no bairro São Conrado e precisam de doações.

Rajadas de vento derrubaram parte do muro do cemitério Santa Amaro, localizado na região oeste da cidade.

 Clayton Neves

Jornal Midiamax