Cotidiano

Campo-grandenses ‘amanhecem’ em agências da Caixa para sacar FGTS

Atendimento será feito até às 15 horas

Thatiana Melo Publicado em 08/04/2017, às 12h32

None
70a5e650-7761-4e7d-8303-f1fdcac20cc4.jpg

Atendimento será feito até às 15 horas

Quatro horas antes das agências da Caixa Econômica Federal abrirem em Campo Grande, para o saque das contas inativas do FGTS (Fundo de Garantia do Tempo de Serviço), os campo-grandenses ‘amanheceram’ nas agências.

Na Rua Barão do Rio Branco, a fila chega até a Rua 14 de Julho e muitas pessoas chegaram às 5 horas da manhã para garantir o atendimento. Jadson Moreira Vila Boas de 21 anos, técnico em informática disse que chegou às 5 horas da manhã, “Quando cheguei já tinham 15 pessoas na minha frente”, fala.

Os planos para o dinheiro ele disse já ter, “Vou pagar as dívidas do meu cartão de crédito”. A dona de casa Eliete da Silva Leite de 30 anos, já tinha feito parte do saque no mês passado e agora aguardava na fila para fazer o restante do saque.

“Com o dinheiro vou dar entrada em um veículo”, diz. Depois de peregrinar por três agências bancárias lotadas, o contador de 50 anos, Eduardo Bernardes Feitosa disse que chegou por volta das 8h50 da manhã e espera ficar pelo menos 3 horas na fila para ser atendido. “O jeito é esperar. Com este dinheiro vou pagar as contas do meu cartão de crédito”, fala.

Há 4 meses desempregado, o pintor de 45 anos, Gerson Rodrigues Monteiro, saiu feliz da agência da Caixa depois de sacar o dinheiro do FGTS, “Era um dinheiro que só chegava quando estava doente ou quando morria, e como não queria nenhum dos dois estou muito feliz”, falou. O dinheiro já tem um destino, o pintor vai saldar dívidas com bancos e contas em lojas.

De acordo com informações do diretor-executivo de cartões da Caixa Econômica Federal, Márcio Ricalde, nesta segunda etapa de saques das contas inativas 138 mil trabalhadores em Mato Grosso do Sul tem direito ao saque, totalizando um valor de R$ 146 milhões. No Brasil são 7,7 milhões de trabalhadores para os saques de R$ 11,2 bilhões.

Na primeira fase dos 85 mil trabalhadores do Estado, que tem direito ao resgate do FGTS apenas 64 mil realizaram os saques, que vão ficar disponíveis até o fim de julho. Na primeira fase foram disponibilizados R$ 89 milhões, sendo que R$ 9 milhões ainda não foram resgatados pelos trabalhadores.

No Brasil, na primeira fase, foram disponibilizados R$ 5,9 bilhões para 3,7 milhões de trabalhadores.

Assista aqui

Pagamentos

As contas inativas com saldo até R$ 1,5 mil poderão ser sacadas no autoatendimento da Caixa apenas com senha do Cartão do Cidadão (sem a necessidade do plástico). Já para valores entre R$ 1,5 mil e R$3 mil será necessário que o trabalhador possua o Cartão do Cidadão e senha para pagamentos no autoatendimento.

Outra opção para saque são os canais parceiros, como correspondentes e unidades lotéricas, onde são permitidos saques de até R$ 3 mil, desde que apresentando o documento de identificação do trabalhador, Cartão do Cidadão e a respectiva senha.
Valores acima de R$ 3 mil serão sacados exclusivamente nas agências da CAIXA. Para valores superiores a R$ 10 mil será necessária a apresentação da carteira de trabalho ou documento que comprove a extinção do vínculo do trabalho.

Para os clientes da Caixa que têm conta poupança individual, o crédito será realizado automaticamente, conforme calendário. O valor estará disponível na conta no dia da abertura do calendário mensal. Os correntistas poderão optar em receber o crédito em sua conta corrente, pelo site do banco (www.caixa.gov.br/contasinativ), ou pelo número 0800 726 2017.

A CAIXA orienta que os trabalhadores consultem o site www.caixa.gov.br ou o 0800 726 2017 para serem direcionados à melhor opção de pagamento, antes de se dirigirem a um dos canais oferecidos. A CAIXA recomenda que para os clientes que necessariamente serão atendidos nas agências, além dos documentos pessoais, seja apresentada carteira de trabalho para agilizar o atendimento em caso de dúvidas, independentemente do valor.

(Matéria editada às 10:06 opara acréscimo de informações)

Jornal Midiamax