Cotidiano

Manifestantes na Afonso Pena prometem protesto ainda maior neste sábado

Em frente ao Ministério Público Federal

Diego Alves Publicado em 19/03/2016, às 00h10

None
_mg_9533_interna.jpg

Em frente ao Ministério Público Federal

Cerca de 150 manifestantes que fecham neste momento a Avenida Afonso Pena em frente ao MPF (Ministério Público Federal) na noite desta sexta-feira (18) prometem um protesto ainda mais maior neste sábado. “Amanhã isso aqui vai bombar”, disse um dos manifestantes com o microfone. Um trator e duas caminhonetes foram utilizadas para interromper a via. Os protestos são a favor do impeachment da presidente Dilma e contra a nomeação do ex-presidente Lula no cargo de chefe da Casa Civil.

Os manifestos estão sendo feitos desde a última quarta-feira (16). No dia, os organizadores disseram que aproximadamente 1,5 mil estiveram no local. Os manifestantes gritavam palavras de ordem e recebiam apoio de motoristas que trafegam por perto por meio de 'buzinaço'. Nesta quinta-feira (18) aproximadamente 1,5 mil pessoas também participaram dos protestos.

“Toda essa situação é um assalto à mão armada, robalheira indecente. Não tem outro jeito se não vir aos manifestos”, disse o funcionário público Luiz Henrique de 58 anos.

“Tem que mudar, o País está muito errado. O Lula é afastado por duas horas e o dólar volta a baixar. Não é só o PT, tem que sair todo mundo, haver uma reforma política”, comentou o estudante Jackson Rezende de 21 anos.

“Prefiro brigar contra o que é errado. Estamos presentes em todas as manifestações. Estão fazendo a gente de palhaço”, falou o aposentado Antônio Carlos Zonatto de 59 anos.

“O PT tenta manipular a população distorcendo os fatos, fatos são fatos. Estão acabando com as instituições, prefiro vir para a rua do que ficar em casa reclamando”, diz a engenheira agrônoma Marize Garcia César de 51 anos.

Jornal Midiamax