Cotidiano

Em falta na rede pública, paciente faz cirurgia e precisa comprar medicamentos

Da prescrição, apenas Dipirona foi encontrado

Midiamax Publicado em 28/06/2016, às 15h50

None
editada2.jpg

Da prescrição, apenas Dipirona foi encontrado

O problema de falta de medicamentos na rede municipal de saúde pública de Campo Grande volta a se repetir. Depois de passar por três unidades de saúde na manhã desta terça-feira (28), em busca de remédios prescritos pelo médico, o leitor do Jornal Midiamax, que preferiu não se identificar, gravou um VÍDEO para comprovar o problema.

O paciente afirma que percebeu a falta de medicamento no último domingo (26), depois de quebrar os dedos em um acidente e ser levado para a UPA (Unidade de Pronto Atendimento) do Jardim Leblon, onde esperou por quase cinco horas para que fosse atendido.

"Esperei das 14h40 até ás 19 horas para o médico me atender. Ele receitou medicação intravenosa porque eu estava com muita dor, mas não tinha e me encaminharam para o CEM [Centro de Especialidades Médicas] e o médico receitou Ibuprofeno e Cefalexina, mas não encontrei nas farmácias da rede pública", relata.

Com os dedos fraturados, o paciente teve de passar por cirurgia no Hospital Adventista do Pênfigo. Depois do procedimento cirúrgico, o médico receitou novamente o anti-inflamatório e o antibiótico, prescritos anteriormente, e acrescentou o dipirona.

O paciente afirma que foi nas farmácias da UPA Coronel Antonino e Jardim Leblon e foi informado de que os três medicamentos estavam em falta. Segundo ele, apenas o analgésico foi encontrado na UBS (Unidade Básica de Saúde) do Bairro Estela do Sul.

"As coisas estão precárias de maneira geral na cidade. É medicamento faltando, asfalto que não presta. Isso é um absurdo. Pagamos nossos impostos, entra e sai prefeito, um joga a culpa no outro e continua tudo do mesmo jeito. Eu trabalho, mas por pegar atestado não vou receber plantões e adicionais, apenas o salário base que já é pouco e ainda tive de tirar dinheiro do bolso para comprar medicamentos", lamenta.

A equipe de reportagem do Jornal Midiamax entrou em contato com a assessoria de comunicação da Sesau (Secretaria Municipal de Saúde Pública) para falar a respeito da falta de medicamentos e foi informada de que as informações sobre a denúncia serão apuradas e divulgadas ainda nesta tarde. 

ASSISTA AO VÍDEO gravado pelo leitor do Jornal Midiamax.

Jornal Midiamax