Cotidiano

Bombeiros interditam supermercado Extra e três clubes da Capital

Último fechamento foi na manhã desta terça-feira

Kemila Pellin Publicado em 15/03/2016, às 17h21

None
_mg_8534.jpg

Último fechamento foi na manhã desta terça-feira

O Corpo de Bombeiros de Campo Grande interditou, na manhã deste terça-feira (15), o prédio do supermercado Extra da região central. Segundo informações preliminares o local não atende aos requisitos mínimos de segurança e por isso foi fechado até adequar-se a exigência. Durante este mês, também foram interditados o Clube Libanês, o salão de eventos do Estoril e salão de eventos e área de piscinas do Tênis Clube CG.

O Extra se pronunciou, afirmando que 'pauta suas ações no respeito às leis vigentes e possui rigorosos procedimentos para garantir a segurança de seus colaboradores e clientes, o que inclui vistorias constantes da equipe de manutenção e obras da companhia' e afirmou que já estão trabalhando para cumprir todas as solicitações do Corpo de Bombeiros.

Conforme publicado no site oficial da corporação, no dia 29 de fevereiro foi colocado em 'ação', pelo 6º Grupamento de Bombeiros Militar, um plano de vistoria em estabelecimentos da Área Norte da capital. Adeterminação foi dada pelo Comandante Metropolitano de Bombeiros, em cumprimento a Lei Estadual 4.335/2013 e em atendimento aos procedimentos administrativos da 43ª Promotoria de Justiça, especializada na proteção e defesa do consumidor.

O objetivo é averiguar a presença de medidas mínimas de segurança e levantar o descumprimento continuado de notificações e autuações e, caso constatado a desconformidade, em relação à ausência ou insuficiência de medidas de segurança, os estabelecimentos poderão ser interditados, como aconteceu nos quatro prédios citados.

O Libanês, segundo histórico da corporação foi notificado em 2011, 2013 e 2015 e no dia 8 de março deste ano foi interditado e deverá adequar as instalações elétricas, realizar manutenção nos sistemas preventivos, apresentar atestado de brigada de incêndio e adequar as saídas de emergência. Já o Estoril foi notificado em 2013 e 2015 e no dia 9 deste mês teve o salão de eventos do clube fechado.

O clube deverá executar PSCIP aprovado pelo CBM-MS, apresentar ART das instalações elétricas, ART manutenção do gerador de energia e câmaras frigorificas, laudo Técnico de Estanqueidade da central de GLP, realizar manutenção de todos os preventivos, apresentar atestado de brigada de incêndio e realizar manutenção dos hidrantes.

O Tênis Clube também recebeu notificações em 2014 e 2015 e teve o salão de festas e área de piscinas fechados no mesmo dia do Libanês. Para voltar a funcionar o clube deverá apresentar atestado de conformidade elétrica e de brigada em conformidade com a NT-17, ART das instalações elétricas e central de GLP, Laudo Técnico de Estanqueidade da central de GLP, atualizar o PSCIP já que o atual não contempla todas as áreas do clube

Também foi recomendado que o clube adequa-se os guarda-corpos e corrimãos, além da manutenção do sistema de hidrante e do sistema de alarmes e bomba de incêndio, assim como a manutenção dos preventivos de segurança e apresentação do ART com laudo de validade de aplicação de produto retardante a chamas em forros e pisos de madeira, e instalação de barras anti-pânico no salão de eventos e por fim manter guarda vidas durante todo o horário de funcionamento das piscinas. O clube informou que a as exigências já foram cumpridas e as áreas reabertas ainda na sexta-feira (11).

Jornal Midiamax