Cotidiano

Sesau proíbe ‘saidinha’ no intervalo feito em horário em plantões

Intervalos terão de ser feito dentro das unidades

Midiamax Publicado em 16/07/2015, às 16h27

None
upa_arquivo_dg.jpg

Intervalos terão de ser feito dentro das unidades

Servidores da Sesau (Secretaria Municipal de Saúde Pública) de Campo Grande, reclamam de um CI (Comunicado Interno) divulgado na manhã desta quinta-feira (16), que proíbe funcionários de deixem o local de serviço durante o intervalo realizado nos plantões.

A proibição foi editada na Resolução Sesau nº 26 de 10 de maio de 2002, que estabelece normas e procedimentos para a realização de plantão eventual no âmbito da secretaria.

De acordo com o artigo 3, parágrafo I da Resolução,  “a ausência do servidor por período inferior a 15 (quinze) minutos ou 30 (trinta) minutos para o plantão de seis (seis) horas ou 12 (doze) horas, respectivamente será considerada como falta, para todos os efeitos legais e com perda de remuneração do plantão”.

Nos parágrafos II e III especifica que havendo disponibilidade de horário na unidade de saúde, o servidor deve compensar o intervalo de 15 ou 30 minutos, dependendo da jornada do plantão, no mesmo dia, caso contrário o trabalhador terá a perda de 1/3 da remuneração do plantão.

O inciso 1º do parágrafo III enfatiza que “Fica proibido ao servidor ausentar-se durante o horário de seu plantão, sob as penas da legislação vigente. No último domingo (12), pacientes que aguardavam que estava na UPA (Unidade de Pronto Atendimento) Coronel Antonino relataram ter esperado por quatro horas enquanto médicos descansavam no local.

A técnica de enfermagem que preferiu não se identificar, trabalha há 10 anos na rede pública de saúde e criticou a medida. “Estamos em reunião na unidade e vamos ver como isso será repassado pelo enfermeiro chefe, mas acho que isso vai prejudicar porque nem sempre conseguimos trazer algo para comer e agora não poderemos sair para lanchar, ou comprar nada”, lamenta.

A reportagem do Jornal Midiamax, entrou tentou falar com o chefe da Sesau, no entanto, ele não atendeu às ligações. Também não foi possível contato com o diretor Hudson Gomes da Silva, que assina o Comunicado Interno.

Jornal Midiamax