Piloto que levava Huck e Angélica teve que fazer pouso forçado após pane

O piloto Osmar Fratini, que pilotava a aeronave que levava Huck, Angélica, seus filhos e duas babás disse ter evitado tragédia ao fazer pouso forçado a 21 quilômetros da Capital. “Se não tivesse feito o que fiz, a aeronave teria explodido”, declarou ao  Jornal Midiamax.

Osmar explicou que a pane no avião foi causada por corte de combustível. “O avião perdeu pressão que manda combustível para o motor, e o motor perdeu potência e o avião perdeu altura”.

Sem velocidade e perto de chegar, o piloto não viu outra opção a não ser bandeirar, cortar os motores e pousar. Tentei achar lugar para pousar, mas não tinha pista e a serra na frente atrapalhou minha visão. Mas deu tudo certo, ainda bem que estamos todos vivos”, finalizou.

O acidente

O casal e  família voltavam do Pantanal, onde Angélica fez gravações para o programa Estrelas, da Rede Globo, quando, a 21 quilômetros da Capital, o piloto da aeronave foi obrigado a fazer pouso forçado. Todos ficaram feridos e a família de Huck foi encaminhada para a Santa Casa, todos com suspeita de fratura.

Huck solicitou transferência aérea para UTI no hospital Albert Eistein em São Paulo, para onde todos foram levados.