Professores que aderirem à greve da Fetems terão de repor aulas perdidas

Ainda não há definição de início de reposição
| 28/05/2015
- 00:05
Professores que aderirem à greve da Fetems terão de repor aulas perdidas

Ainda não há definição de início de reposição

Os da Rede Estadual de Ensino que aderiram à iniciada pela Fetems (Federação dos Trabalhadores em Educação de Mato Grosso do Sul) nesta quarta-feira (27) terão que repor todas as aulas perdidas durante a paralisação, que atinge mais quatro estados brasileiros governados pelo PSDB.

Em nota oficial, a SED (Secretaria de Estado de Educação), informou que todas as aulas ‘devido à greve da FETEMS serão devidamente repostas’, para não haver prejuízos no calendário escolar de 2015.

No documento, o governo também argumenta que muitas escolas do Estado continuam funcionando normalmente, e desautoriza ‘entidades classistas’ a falarem oficialmente em nome da administração estadual.

Mesmo com declarações do presidente da Fetems de que Mato Grosso do Sul está em posição ‘privilegiada’ em relação aos demais Estados da Federação, a entidade decidiu pela greve depois que o governo alegou impossibilidade de conceder 10,9% de reajuste à categoria.

A proposta da gestão tucana, que concedeu pouco mais de 13% ao magistério, incrementados em janeiro deste ano, é reajustar os salários dos professores em 4,34% em outubro de 2015, e fazê-lo de igual forma no mesmo período anualmente até 2022, o que dobraria a remuneração da categoria.

Reposição

Como a greve ainda não tem prazo para terminar e o governo sustenta que mantém o diálogo com a categoria, pais e os próprios alunos precisam aguardar definição de reposição. Em outros episódios, a reposição aconteceu aos sábados.

“É ruim isso. Como que vai tirar as crianças de casa em um dia em que elas deveriam descansar” afirmou Jarbas da Cruz, pai de duas alunas da rede pública, que hoje não foram À escola em virtude da greve.

A filha de Cintia Morel hoje também ficou em casa por causa da greve, a mãe também é contrária à reposição aos sábados. “No final de semana cai a participação dos alunos. Acho melhor acrescentarem uma hora durante a semana. Aula no sábado desfaz a programação dos pais”, alegou.

Confira na íntegra a nota divulgada pela SES:

A Secretaria de Estado de Educação (SED) informa que nenhuma entidade de classe está autorizada a falar oficialmente em nome do Governo do Estado de Mato Grosso do Sul.

Além disso, a SED informa que a greve realizada pela Federação dos Trabalhadores em Educação do Estado (FETEMS) não obteve adesão de todas as escolas estaduais, e muitas permanecem funcionando normalmente.

As aulas prejudicadas devido à greve da FETEMS serão devidamente repostas, após o cumprimento do calendário escolar de 2015.

Reafirmamos o compromisso do Governo do Estado com a qualidade da Educação e o respeito com os profissionais da área. Neste aspecto o nosso comprometimento respalda-se em ações responsáveis, que garantam a aprendizagem dos nossos alunos.

Veja também

Vídeo que circula nas redes sociais mostra um ônibus do Consórcio Guaicurus, linha 302- Caiobá...

Últimas notícias