Cotidiano

Moradores se unem e pagam por borrifação para combater a dengue

Trabalho é feito na região oeste da cidade 

Evelin Cáceres Publicado em 26/04/2015, às 14h56

None
capa.jpg

Trabalho é feito na região oeste da cidade 

Moradores e presidentes de bairro da região oeste de Campo Grande acordaram cedo neste domingo (26) para borrifar casas e terrenos vazios, além das suas próprias casas. Com medo da proliferação do mosquito da dengue, eles se reuniram e juntaram dinheiro para combater o transmissor.

Segundo o presidente do Conselho Regional do Imbirussu, Miguel Gilena, a iniciativa surgiu de uma conversa com o grupo e o valor, que era de R$ 300,00 passou para R$ 60,00 por casa. “Fizemos parceria com a empresa Zarabatana e estamos pagando mais barato para acabar com o mosquito. Em terrenos vazios, a empresa vai borrifar de graça. Tudo para acabar com o mosquito”.

Começando pelo bairro Manoel Taveira e Santa Carmélia, a ideia é expandir para os bairros da região. Os moradores do Zé Pereira, Vila Popular, Silvia Regina e Petrópolis já aderiram a campanha de borrifação particular.

“Não é que a prefeitura não faça, mas a nossa ideia é fazer a nossa parte e ajudar. É muito lugar e às vezes não há equipamento suficiente e o poder público não dá conta de tudo. Temos que parar de só reclamar e ajudar também”, Disse Cristina Rodrigues, presidente do bairro Jardim Petrópolis.

Os presidentes dos bairros Zé Pereira e Jardim Popular, Sizerlandio de Oliveira e Josenil Siqueira já reuniram moradores que querem o serviço. “A procura é grande, porque tem muitas baratas e escorpiões também”.

José Gontim, presidente da União Municipal de Associações de Bairros, quer levar a ideia para a maior quantidade possível de bairros. “Não adianta ficar só esperando a prefeitura, o recurso do poder público é limitado. Se a gente se unir, acaba ficando não muito caro e vale a pena para conscientizar a vizinhança de que devemos fazer a nossa parte”.

Jornal Midiamax