Cotidiano

Documento da Infraero confirma necessidade de 400 táxis no Aeroporto

Longas filas de passageiros à espera de táxi são comuns no aeroporto

Ludyney Moura Publicado em 18/04/2015, às 21h40

None
aeroporto_arquivo_midiamax.jpg

Longas filas de passageiros à espera de táxi são comuns no aeroporto

Esta semana a vereadora Luiza Ribeiro (PPS) tornou público um documento da superintendência regional da Infraero comunicando a Agetran (Agência Municipal de Transporte e Trânsito), sobre a necessidade de pelo menos 400 novos taxis no Aeroporto Internacional de Campo Grande.

“Já encaminhamos o pedido ao prefeito municipal (Gilmar Olarte, PP) para que avalie a atual situação e abra um processo licitatório priorizando os auxiliares que pagam o valor diário de R$ 180,00 reais além das despesas com manutenção e combustível”, revelou Luiza Ribeiro.

No documento revelado pela vereadora, a superintendente regional da Infraero, Barbara Netto, citou o dia 23 de fevereiro deste ano como exemplo da longa fila de passageiros à espera de um táxi no aeroporto.

Apesar da escolha de uma data aleatória, a realidade de longas filas é comum no local. Uma vez que em alguns períodos do dia, a chegada de vários vôos em horários próximos ocasiona o desembarque de centenas de pessoas.

“É uma vergonha para a cidade essa espera de 40 minutos à espera de um táxi”, contou ao Jornal Midiamax um passageiro que constantemente precisa viajar a trabalho. Para a Infraero, as longas filas são uma ‘ocorrência que deixa de ser pontual e está sendo rotineira’.

Luiza revela que Campo Grande possui atualmente 490 alvarás de táxi para uma população de quase 900 mil pessoas, sem considerar turistas e pessoas em trânsito. A parlamentar também criticou a concentração de muitos alvarás nas mãos de poucos beneficiários, o que, segundo ela, é uma realidade prejudicial para o setor.

Em Campo Grande atualmente são 490 alvarás para uma população de quase 900 mil habitantes, sem considerar a população chamada visitante. Existe ainda a concentração de alvarás nas mãos de pouco o que prejudica a atividade além de promover a exploração do trabalho dos auxiliares.

Jornal Midiamax