Cotidiano

Cliente espera mais de 1 hora para ser atendido, reclama e banco chama polícia

A reclamação resultou em uma ação judicial contra o banco

Midiamax Publicado em 16/05/2015, às 18h40

None
banco.jpg

A reclamação resultou em uma ação judicial contra o banco

O que deveria ser um direito garantido por lei se tornou dor de cabeça para o analista de TI Marcelo Manzano, de 31 anos. A demora na fila do banco, gravada pelos clientes, em uma agência do HSBC na Avenida Zahran, em Campo Grande, resultou em ação judicial contra a empresa e até na interferência da polícia.

“Já estava esperando para ser atendido há 30 minutos. Comecei a reclamar e uma moça que também estava esperando gravou tudo”, lembra o analista. O caso ocorreu em março, mas foi tornado público, em uma página no Facebook, na quarta-feira (13).

“Chamei o gerente geral e, quando ele apareceu, me chamou para ir à sala dele. Eu reclamei, pedi para ele agilizar o atendimento e ele falou que podia me atender, aí eu falei que queria que ele me atendesse, mas no tempo certo, que não ia passar na frente desse meu amigo aqui, ou aquele ali”, relata Manzano.

Minutos depois, o pessoal do banco teria acionado a Polícia Militar alegando que Marcelo estava ameaçando os outros clientes e os funcionários. “A agência chamou a polícia porque me recusei a ficar quieto”, defende-se.

Por lei, os clientes não devem esperar por atendimento por mais de 15 minutos em dias normais, 20 minutos em dias de pagamento e 25 em vésperas de feriados. A realidade, no entanto é bem diferente. No dia em que o vídeo foi gravado, Marcelo ficou na fila 1h05.

Quando chega ao caixa, o cliente deve pedir para o atendente carimbar e não reter a senha de espera, de forma a comprovar que a pessoa foi atendida dentro do tempo ou não, podendo eventualmente ser usada como prova judicial, como foi o caso de Manzano. “Eu e mais duas pessoas entramos com a ação contra o banco”, revela. O fato ocorreu em abril e a audiência foi marcada para a próxima semana. 

O vídeo que mostra toda a cena vivida no banco foi compartilhada na página de Facebook “GritaPovo” e possui quase 500 mil visualizações. Segundo Marcelo, o espaço foi criado para “cutucar as pessoas e tirá-las da zona de conforto”. “Precisamos parar de reclamar para o vizinho do lado e agir, porque senão não vai funcionar”, conclui o analista.

Retorno

A equipe de reportagem do Midiamax entrou em contato com o banco, porém até a conclusão da matéria não obteve resposta. Já o site do UOL que também veiculou a matéria obteve uma nota retorno da agência bancária.

O HSBC afirmou, por meio de nota, que cuida do tempo de espera em suas agências e que vai avaliar o caso.

Leia a íntegra da nota:

“O HSBC informa que gerencia o tempo de atendimento dentro de suas agências em todo o Brasil. O caso em questão será avaliado para aprimorar o atendimento aos clientes. O HSBC também oferece outros canais de relacionamento para realizar serviços financeiros, como o Digital Life para internet, celular e tablet, além dos caixas automáticos e o Meu HSBC Telefone.”

Jornal Midiamax