Cotidiano

Cliente da Capital reclama de ‘pegadinha’ no preço de carne em promoção

O cliente disse que irá procurar o Procon

Diego Alves Publicado em 10/10/2015, às 22h19

None
carne.jpg

O cliente disse que irá procurar o Procon

Um advogado que preferiu não se identificar fez uma denúncia de uma suposta promoção a clientes especiais do supermercado Pão de Açúcar da Avenida Nelly Martins, em Campo Grande. O leitor enviou as fotos de uma propaganda, na qual o contrafilé é vendido a R$ 29,90 o quilo, somente para “Cliente Mais”.

Nesta promoção, o cliente faz um cadastro e ganha pontos que são revertidos em vale-compras. O advogado cita o exemplo de 1,654 kg de contrafilé que comprou. O quilo desta peça deveria sair por R$ 29,90, já que é um cliente cadastrado na promoção.

Ao passar pelo caixa, o valor do quilo do contrafilé registrado na nota fiscal é de R$ 45,90 (preço sem desconto). Para dar o valor da promoção, que seria os R$ 29,90 por quilo, o sistema então fez a seguinte conta: multiplicou 1,654 (peso da carne), por R$ 45,90 (valor do quilo sem desconto), que resultou em R$ 75,91. Em cima desse valor, o hipermercado deu um desconto de R$ 18,34, e, assim, o advogado pagou R$ 57,57 pelo 1,654 kg de contra filé.

O argumento de contestação do cliente é que se multiplicar 1,654 (kg da carne), por R$ 29,90, o valor que deveria ser pago, resulta em R$ 49,45. Preço esse R$ 8,12 menor que os R$ 57,57. “Isso é em relação a uma peça que eu comprei, imagina quantas pessoas compraram lá”, diz o advogado que irá ao Procon.  Ainda segundo o cliente, o valor real que foi cobrado é de R$ 34,80 por quilo, pois este é o resultado de R$ 57,58 dividido por 1,654, total esse de R$ 16,3% acima dos R$ 29,90 por quilo que deveria ser cobrado.

“É complicado, fui lá pra comprar carne, gastei quase R$ 700 nas compras. Eu vi na hora, falei com a moça do caixa e ela disse que iria tirar a diferença. Eu falei não, isso está errado ou você passa minha compra de graça ou passa ela pelo preço normal e disse que iria ao Procon”, lembra.

O cálculo feito na matéria é em relação ao item 44 da nota fiscal, mas vale lembrar que o cliente comprou outras peças do produto, que também estão descritas na nota fiscal.

A assessoria de imprensa da Pão de Açúcar enviou uma nota a respeito do caso:

Pão de Açúcar informa que trabalha de acordo com o que determina a legislação. Com relação ao caso citado, a loja informa que aguarda o cliente para que possa averiguar o ocorrido. A rede reitera que, em caso de possível divergência de preços, será válido o menor valor, de acordo com o que expressa o CDC. A loja aguarda o referido cliente e está à disposição para prestar as informações necessárias.

Jornal Midiamax