Cotidiano

Comerciante denuncia que presidente de associação teria se tornado ‘dona do bairro’

Comerciante alega que está sendo vítima de ações abusivas da presidente da associação de moradores e entrou na Justiça para questionar problemas

Arquivo Publicado em 17/07/2013, às 16h51

None
1172539166.jpg

Comerciante alega que está sendo vítima de ações abusivas da presidente da associação de moradores e entrou na Justiça para questionar problemas

Comerciante Douglas Alleff, cuja família é dona do Lanchão da Enseada, situado no Copavilla II, alega que está sendo vítima de ações abusivas da presidente da associação de moradores, Maria Bernadete de Carvalho. Segundo ele, desde que Bernadete assumiu o comando da associação houve uma sequência de aumento os alugueis e outras ações que ele considera ‘irregularidades estatutárias’.

“Desde que ela entrou na presidência em 2008 vimos uma sequência de aumentos no valor de alugueis além de outras ações abusivas que ela toma em relação à comunidade. Uma lanchonete da família mesmo está sendo prejudicada com essa situação e por isso levamos esse problema para a Justiça assim como outros moradores” conta Douglas .

Segundo Douglas, a associação de moradores move uma ação de despejo por falta de pagamento contra Marilson de Oliveira Centurião, proprietário da lanchonete, que fica sediada em um terreno de posse da entidade administrada por Bernadete. Segundo moradores, o empresário tem atividade no local desde 1994.

O grupo formado por inquilinos da associação questiona a falta de liberdade dos moradores da comunidade para a utilização das quadras de esporte e salão de festas. A prestação de contas e a falta de transparência na cobrança de aluguéis dos espaços também fazem parte das queixas.

Além disso, o grupo aponta que uma manobra na reforma estatutária da entidade teria sido ‘orquestrada’ para adiou as eleições com o intuito de garantir um terceiro mandato para Bernadete.

Outro lado

A reportagem esteve na associação de moradores, mas a presidente não foi encontrada. Conforme o marido de Bernadete, Ricardo Galto, é mérito da gestão dela a recuperação da entidade.

De acordo com Galto, Bernadete herdou um panorama complicado para sua administração devido a impostos pendentes, protestos na justiça e outras dívidas com o INSS e o IPTU. O déficit era estimado em quase R$ 400 mil. A associação tem como fontes de receita aluguel de espaços como um local onde fica uma torre da Vivo, e espaços que ficaram direcionados ao funcionamento de comércios.

Galto informou que a associação está agindo em conformidade mas cobranças de aluguéis. Sobre a reclamação para utilização das quadras de esporte e salão de festas, o marido de Bernadete nega qualquer pedido de pagamento. Ele disse ainda que sua esposa, bem como funcionários da associação, tem sido vítima de ameaças.

“Minha mulher tem recebido ameaças de morte e isso tem mexido com a segurança das pessoas que trabalham com ela. Infelizmente essas queixas acontecem em razão dessas ações dos aluguéis. Na semana que vem iremos tomar providências legais quanto a isso”, finalizou.

Jornal Midiamax