Como assim?

A Coluna revelou em primeira mão, em novembro do ano passado, que o Exército
comprou dez adegas pelo preço unitário de R$ 6.219,00. A aquisição foi alvo de
questionamento ao ministro da Defesa, José Mucio Monteiro, pelos deputados Gilson
Marques (Novo-SC) e Adriana Ventura (Novo-SP). Em dezembro, a reportagem
reforçou a cobrança de uma posição do Exército. A resposta, no dia 14: “O Centro de
Comunicação Social do Exército informa que no corrente exercício financeiro, até a
presente data, o Exército Brasileiro não adquiriu nenhuma adega”. Na mesma data, o
Ministério da Defesa enviou ofício à Câmara dos Deputados (33862/MD) no qual
“justifica” a compra das adegas, para “criar um ambiente mais agradável e confortável”
nos hotéis de trânsito vinculados ao Exército.

Suprema disputa

A queda de braço entre o STF e a bancada ruralista pode seguir contaminando as
relações entre o Governo Lula e o Congresso. O último capítulo da relação belicosa foi
a decisão do ministro Edson Fachin, que suspendeu ações que questionavam processo
de demarcação de terra indígena no Paraná, reduto político do presidente da FPA, Pedro
Lupion (PP). O troco pode vir em fevereiro, quando o Parlamento retoma suas
atividades.

Bolsa verde

O governador do Acre, Gladson Cameli, autorizou os primeiros pagamentos a pequenos
produtores rurais que estão aderindo a um programa de proteção ambiental, financiado
em parte com recursos de organismos internacionais preocupados com o desmatamento
na Amazônia. Pelo projeto, produtores recebem R$ 400 a cada hectare que, mesmo fora
da cota de preservação obrigatória, é mantido intacto.

TCU x Receita

A Receita Federal e o Tribunal de Contas da União (TCU) entraram em rota de colisão
após a decisão que anulou a isenção fiscal sobre salários de pastores. O Fisco alegou
que a medida foi baseada em decisão do TCU, ao que o Tribunal redarguiu: “O assunto é objeto de análise no processo TC 018.933/2022-0, de relatoria do ministro Aroldo
Cedraz, ainda sem decisão”.

Cappelli na EBC?

Ex-secretário executivo do Ministério da Justiça, o jornalista Ricardo Cappelli está
cotado para assumir o comando da Empresa Brasil de Comunicação (EBC). Ele foi
secretário de comunicação quando Flávio Dino governou o Maranhão. Atualmente, a
EBC é comandada pelo historiador Jean Lima. A conferir.

“Furacão” em Porto Alegre

A capital gaúcha viveu cenas de filme após tempestade com ventos de mais de 120
km/h. Porto Alegre foi arrasada pelo temporal, que provocou sérios danos à imagem do
prefeito de Porto Alegre, Sebastião Melo, e do governador, Eduardo Leite, muito
criticados pela falta de pulso com a CEEE Equatorial, empresa privada responsável pelo
fornecimento de energia elétrica. O eleitor costuma se lembrar desses episódios em ano
de eleição.

ESPLANADEIRA

#Prefeitura de Uberlândia e Aena apresentam projeto de ampliação e modernização do Aeroporto de Uberlândia. # Governo Federal cria Política Nacional de Cibersegurança e o Comitê Nacional de Cibersegurança. # Sindicato dos Auditores Agropecuários pede revisão do edital do Concurso Público Nacional Unificado. # Maceió é a capital com o combustível mais barato no Brasil, com diesel comum no valor de R$ 5,44. # Denise Fraga apresenta peça ‘Eu de você’ na Caixa Cultural Brasília, até dia 28. # Shoppings da ALLOS arrecadam itens essenciais para famílias prejudicadas pelas chuvas na Baixada Fluminense.