Bolsonaro salva Moro ?

Os entusiastas da base do presidente Lula da Silva que apostavam na cassação do
senador Sergio Moro (União-PR) frearam as articulações ao descobrirem que Jair
Bolsonaro pode lucrar. Enquanto o PL, partido do ex-presidente, aposta todas as fichas
na ação que protocolou no TSE (Moro responde a outra, da coalização de Lula). O fato
é que pretende mudar seu domicílio eleitoral para o Paraná a tempo,
caso se concretize a queda de Moro. E com potencial de ser eleita, a despeito da pré-
candidatura de outro bolsonarista local, Paulo Martins – que deve ser aposta do PL para
uma das vagas em 2026. Michelle eleita seria a grande vitória de Bolsonaro contra o
Tribunal e os adversários. Não é coincidência a agenda do casal em evento para
milhares de filiados do partido dias 15 e 16 em Curitiba. O PT retirou as testemunhas de
acusação que iriam depor no TRE do Paraná e Moro pediu ao ex-deputado Deltan
Dallagnol para não depor mais a favor dele. O senador depõe no TRE amanhã.

Mira o eleitor

O que foi surpresa para todo o Brasil – um senador Rodrigo Pacheco sempre cauteloso
nas palavras mudar seu tom, e logo contra o STF – para os próximos não é surpresa. Ele
quer ser governador de Minas e mira o eleitor insatisfeito com ministros do Supremo.
Moda eleitoral agora é criticar a Corte. Pacheco tem pesquisas em mãos e sabe o que
diz.

Espelho da polarização

A capital fluminense, reduto de Jair Bolsonaro, vai reeditar a polarização entre ele e o
presidente Lula da Silva, direita x centro-esquerda, a se confirmarem duas candidaturas
à Prefeitura em 2024. De um lado, o prefeito Eduardo Paes (PSD), que deve ir à
reeleição, com apoio do Barba. De outro, a novidade é o nome do delegado e hoje
deputado federal Alexandre Ramagem, ex-chefe da Abin, como candidato dos
Bolsonaro.

Mudo na linha

O chefe da Casa Civil, Rui Costa, telefonou várias vezes semana passada, sem sucesso,
para o presidente da Câmara, Arthur Lira, durante a reunião de líderes. Costa queria

pedir que o PAC entrasse na lista das emendas parlamentares. Lira lembrou das
promessas na Caixa, não cumpridas.

Jogada de mestre

Nas articulações diárias, usando a presidência da Comissão de Constituição e Justiça
para pavimentar sua volta ao comando do Senado, Davi Alcolumbre (União-AP) fez
uma jogada de mestre há dias para agradar a base governista, de quem tem ampla
resistência. Escolheu o amigo maranhense de Flávio Dino, Weverton Rocha (PDT), para
relator da indicação do ministro ao STF.

Clima quente

O clima esquentou no Palácio Buriti. A vice do governador Ibaneis, Celina Leão, que
sonha ser a sucessora, acha que vai ser rifada e investe em aparições na TV. É que
Ibaneis tem aliados mais graúdos.

ESPLANADEIRA

 Grupo SEB discute, entre dias 5 e 7, plano de levar para o Rio a Sphere International School

com investidores interessados. # Startup Juntos Somos Mais bate recordes de pontos
resgatados do programa de fidelidade na Black Friday. # suspendeu dia 29 de novembro
processos de autorização para 17 à distância. # XXVII SNPTEE em Brasília bate
recorde de público com mais de 5 mil participantes inscritos. # Deputado estadual Rafa
Zimbaldi notifica UNIMED por descumprimento de acordo com Alesp. # Energy Future
realiza, dia 13, em , o EF Summit 2023.

Saiba Mais