Nesta quarta-feira (11), o empresário Thiago Brennand foi condenado a 10 anos e seis meses de prisão, pelo crime de estupro. A sentença é do caso da norte-americana, que foi julgado na 2ª Vara de Porto Feliz, no interior de São Paulo.

A condenação deverá ser cumprida inicialmente em regime fechado, mas o (TJ/SP) Tribunal de Justiça de São Paulo informou que ainda cabe recurso. Brennand também deverá indenizar a vítima por danos morais, no valor mínimo de R$ 50 mil.

A defesa de Brennand afirmou que “recebe com grande irresignação a sentença proferida”. Segundo os advogados, a decisão “é fundamentada apenas na palavra da vítima, completamente dissociada dos elementos de prova, colhidos durante a instrução, os quais demonstraram de forma cristalina que o acusado nunca praticou violência sexual.” A defesa disse ainda que “tem total confiança no Poder Judiciário para corrigir essa injusta condenação.”

A norte-americana foi ouvida na condição de vítima, durante a audiência de instrução e julgamento do caso, no dia 30 de maio. De acordo com a mulher, após o estupro, ela teve sangramento que deixou o lençol manchado e Brennand teria avisado que não queria que ela ‘sujasse a roupa de cama’.

Ela disse que tentou impedir a violência sexual, mas não conseguiu. A norte-americana falou ainda que Brennand teria dito a ela se ‘não tirasse a mão (tentando impedir o ato sexual) que ele iria machucá-la ainda mais’.

Saiba Mais